2 eventos ao vivo

Em vídeo, Gil, Roberto e Erasmo dizem que não quiseram censurar biografias

30 out 2013
07h30
atualizado às 10h26
  • separator
  • 0
  • comentários

Na noite da última terça-feira (29), Roberto Carlos, Gilberto Gil e Erasmo Carlos - que fazem parte do grupo Procure Saber - gravaram um vídeo para esclarescer a posição em relação às biografias não autorizadas. Os músicos mostraram uma postura diferente do que vinham defendendo e reafirmaram diversas vezes que não estão querendo censurar ninguém.

Roberto Carlos faz parte do grupo Procure Saber, que é contra as biografias não autorizadas
Roberto Carlos faz parte do grupo Procure Saber, que é contra as biografias não autorizadas
Foto: Reprodução
Erasmo Carlos faz parte do grupo Procure Saber, que é contra as biografias não autorizadas
Erasmo Carlos faz parte do grupo Procure Saber, que é contra as biografias não autorizadas
Foto: Reprodução
Gilberto Gil faz parte do grupo Procure Saber, que é contra as biografias não autorizadas
Gilberto Gil faz parte do grupo Procure Saber, que é contra as biografias não autorizadas
Foto: Reprodução

"Nunca quisemos exercer qualquer censura, ao contrário, o exercício do direito a intimidade é um fortalecimento do direito coletivo. Só existiremos enquanto sociedade, se existirmos enquanto pessoa", afirma Gil.

Erasmo completa dizendo que "quer" e "não abre mão do direito a intimidade e a privacidade", a deles e a dos que podem sofrer por estarem ligados a eles. "Queremos afastar toda e qualquer hipótese de censura prévia. Queremos, sim, garantias contra os ataques, os excessos, as mentiras, os insultos, os aproveitadores", reafirma Gil.

"Não somos censores. Nós estamos onde sempre estivemos. Pregando a liberdade, o direito às ideias, o direito a sermos cidadãos que têm uma vida comum, que têm família e que sofrem e amam. Às vezes, a dois ou na solidão. Sem compartilhar com todos os momentos que são nossos", completa Erasmo. "Não queremos calar ninguém, mas queremos que nos ouçam", finaliza Roberto Carlos.

Além disso, os cantores admitem que já tiveram uma posição bastante radical, mas se mostram mais maleáveis quando o assunto é a autorização prévia, sem ferir o direito a privacidade e a intimidade. "Julgamos ter o direito de saber o que de privado, de particular, existe em cada um de nós, nas nossas vidas", afirma o "rei". "Este é um ponto que não podemos delegar a ninguém: decidir o que nos toca, a cada qual, intimamente. Decidir o que nos constrange e o que nos emociona", logo completa Erasmo.

A polêmica sobre a publicação de biografias está sendo julgada no Supremo Tribunal Federal. A Associação Nacional dos Editores de Livros move uma ação que questiona artigos do Código Civil. Um deles diz que é preciso autorização para a publicação ou uso de imagem de alguém. 

Em 2007, Roberto Carlos processou o jornalista e historiador Paulo César de Araújo, autor de Roberto Carlos - Em Detalhes, e conseguiu que o livro fosse recolhido das lojas.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade