PUBLICIDADE

Governo aplica R$ 373 mi em Plano Nacional do Livro e da Leitura

23 abr 2012 - 16h36
(atualizado às 17h46)
Diogo Alcântara
Direto de Brasília

Menos de um mês após a divulgação do dado que revelou que três quartos dos brasileiros nunca haviam visitado uma biblioteca na vida, o Ministério da Cultura anunciou, nesta segunda-feira (23), investimentos de R$ 373 milhões para o Plano Nacional do Livro e da Leitura. Os recursos serão distribuídos entre bibliotecas, feiras e festivais de livro. As ações do plano serão coordenadas pela Fundação Biblioteca Nacional.

Do montante total, mais da metade (R$ 206 milhões) sairá do orçamento do Ministério da Cultura. O anúncio do investimento acontece menos de um mês após divulgação de uma pesquisa sobre o comportamento de leitura dos brasileiros, feita pelo Ibope.

Segundo a pesquisa, a média de leitura do brasileiro é de 4 livros por ano, considerando-se os livros lidos parcialmente. A pesquisa apontou também que 75% dos brasileiros nunca frequentou uma biblioteca na vida. A 3ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil foi feita pelo Ibope Inteligência com 5 mil entrevistados em 315 municípios, nos meses de junho e julho de 2011.

"A leitura não é um ato reflexo, é um resultado de uma sofisticada operação aprendida ao longo de anos (...) e por isso mesmo tem de ser cultivada além dos muros da escola", disse a ministra da Cultura, Ana de Hollanda. "Um brasileiro que lê cresce mais, e o Brasil cresce junto", concluiu a ministra.

Para o ano de 2012, o plano vai investir em programas de construção e modernização de bibliotecas, que estão no topo da lista de recebimento de recursos públicos. Mais de 70% do dinheiro, ou seja, R$ 220 milhões, serão destinados para as mais diversas modalidades de bibliotecas, inclusive aquelas com telecentros.

"A leitura no Brasil ainda não atingiu o índice que se esperava para o número de livros lidos por ano (...). A gente planta agora, mas os resultados não vão aparecer em curto prazo. Tende a se esperar um pouco mais", disse Ana de Holanda.

Para ampliar o número de feiras do livro apoiadas pelo governo, o programa promete investir R$ 8 milhões. Serão contemplados 67 festivais e feiras. A Bienal Brasil do Livro (que se encerra hoje em Brasília), por exemplo, recebeu parte deste recurso.

Ecad

Defensora da revisão da lei de direitos autorais, a ministra da Cultura se esquivou de perguntas relacionadas a sua ida ao Senado Federal amanhã. Nesta terça-feira, o relatório sobre supostas irregularidades no escritório central de arrecadação e distribuição do Ecad elaborado pelo senador Lindberg Farias (PT-RJ) será apresentado à CPI.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o texto pede 21 indiciamentos para a cúpula do órgão. O relatório também deverá apresentar um projeto de lei que tira do Ministério da Cultura e passa para o Ministério da Justiça as atribuições de gestão dos direitos autorais no Brasil. "(O relatório) nem foi apresentado oficialmente ainda", disse Ana de Holanda, que não quis comentar o assunto.

A CPI para investigar as supostas irregularidades no Ecad foi instalada em junho do ano passado. Ela foi criada para apurar suspeitas de sonegação fiscal e abuso de poder econômico, prática de cartel na definição de valores de direitos autorais, além da centralização da gestão de direitos autorais de execução pública no País.

Fonte: Terra
Publicidade