0

Carimbó + kuduru = samba? Aprenda a gingar para o Carnaval

Há mais de 20 anos, Naldi e Nete ensinam brasileiros e estrangeiros a dançar

10 fev 2015
14h48
atualizado às 15h29
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Aprenda a sambar para não fazer feio no Carnaval

Se você está desanimado com a chegada do Carnaval porque não sabe sambar, pode parar. Ainda há tempo para aprender. A garantia é dos professores Luiz Naldi Pimentel Vieira e Ivanete Cristina Xavier Vieira, que há mais de 20 anos ensinam brasileiros e estrangeiros a gingar e não fazer feio na maior festa popular do País. Mas quanto tempo será que uma pessoa precisa para aprender de verdade? Naldi responde: "o básico se aprende até em uma aula de duas horas", garante. "Mas não vai pegar a velocidade do samba normal. Passamos bem a base para a pessoa, sempre usando o samba enredo, porque é a música que o gringo mais gosta”, afirma.

Siga Terra Diversão no Twitter

A oportunidade este ano está no hotel Othon Palace, em Copacabana, onde os professores vão dar aulas nos dias 14 e 15 de fevereiro. Naldi e Nete acabam de chegar do Togo, na África, onde inauguraram um teatro e deram aulas de samba para os togoleses. "Na África, nosso trabalho é mais fácil, porque eles já têm a ginga. Pior é na Europa", afirma Naldi, com a experiência de quem já viveu na Itália e na Turquia ao lado da mulher ensinando a arte brasileira.

Natural de Belém do Pará, o casal de dançarinos começou dando shows na praia de Copacabana e logo despertou a curiosidade de turistas estrangeiros. Com isso, surgiu o convite para ir trabalhar no exterior. Em 20 anos já passaram pela Europa, Estados Unidos (Las Vegas) e África. "Apesar de passarmos boa parte do ano viajando, quando vai chegando o Carnaval voltamos para o Rio para ensinar o samba", conta.

Naldi e Nete dão aula de samba
Naldi e Nete dão aula de samba
Foto: Marcus Vinicius Pinto / Terra

Juntando o samba, o carimbo e passos do kuduru africano, Naldi e Nete juntam a marcação indígena, a postura do europeu e a ginga do africano para fazer todo mundo de soltar no Carnaval. "O brasileiro de qualquer lugar tem ginga", afirma. Para aprender a sambar é preciso primeiro ouvir a marcação do surdo, que é o coração da bateria. "Muitas vezes o ritmo é o mais difícil de pegar. Mas começamos com algo bem lento, ensinamos através do surdo que a ginga está no joelho e na cintura", diz.

A aula, que dura 40 minutos e junta no máximo 40 pessoas no salão, é experimental na primeira vez para os hóspedes do hotel. "Fazemos algo descontraído para que todo mundo pegue o gosto". E aí, se animou?

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade