2 eventos ao vivo

Escola de samba anuncia rainha de bateria de 7 anos de idade

28 jan 2010
18h05
atualizado às 20h40
Isaac Ismar
Direto do Rio

A Unidos do Viradouro, do Grupo Especial carioca, terá a pequena Júlia Lira como a musa dos ritmistas no desfile do domingo de carnaval.

O posto de rainha de bateria da Viradouro - escola de samba da elite do carnaval carioca - que já foi ocupado por Luma de Oliveira e Juliana Paes tem nova dona. É Júlia Lira, de apenas 7 anos de idade, filha do presidente da agremiação, Marco Lira. O anúncio surpreendeu o mundo do samba. Muita gente custou a acreditar, afinal, nunca nos 25 anos de história da Marquês de Sapucaí uma criança desfilou em uma posição de tanto glamour e tão cobiçada pelas musas.

A polêmica é grande e tem atraído a atenção da mídia. Até o Juizado da Infância e da Juventude está envolvido, por se tratar de uma menor de idade. Existe a possibilidade da Justiça barrar a participação da menina no desfile, no entanto, a escola, os familiares e os amigos estão confiantes em um resultado positivo. Tanto a agremiação como os pais garantem que a fantasia de Júlia não lembrará em nada os modelos sensuais usados tradicionalmente por passistas.

Mônica Lira, de 41 anos, mãe da pequena sambista e primeira-dama da Viradouro, descartou a possibilidade da filha usar uma roupa que possa expô-la negativamente. "A Júlia desfilará com uma fantasia bem infantil. Vamos enviar o desenho e toda documentação necessária para o Juizado da Infância e da Juventude. Ela estará vestida como uma criança. Não vou colocar minha filha como passista. Quem olha para uma criança como a Júlia, tão pura, e diz que existe um apelo erótico, deve ser muito doente", desabafou Mônica.

O pai, Marco Lira, faz coro: "Eu jamais colocaria minha filha com uma roupa erótica. Seria uma infelicidade da minha parte e estaria fadado à desgraça dentro da minha família. Como pai não vou admitir que olhem para a Júlia com outros olhos. Estamos providenciando a documentação que a justiça pediu. Ela é soberana e apenas quer saber como será o desfile da criança. O que for decidido nós vamos acatar, sem recorrer. Até porque a juíza que cuida do carnaval do Rio de Janeiro é muito séria e humana. Ela sabe que um pai para colocar a filha na Sapucaí tem ter a certeza que a criança não será observada como objeto de desejo".

Feliz por ter na escola essa surpresa, um dos carnavalescos da Viradouro, Édson Pereira, contou que tudo está acontecendo de forma positiva. O artista é o responsável pelo desenho e confecção da fantasia de Júlia. "Ela está se divertindo como uma criança. Sabemos que a Júlia não tem a responsabilidade que uma mulher teria ao assumir o posto de rainha de bateria, por isso estamos tratando esse assunto com naturalidade. A comunidade da escola está satisfeita e o retorno tem sido positivo. Já pensei na fantasia da Júlia. O que posso adiantar é que será uma roupa de criança, passando pureza e inocência. A bateria estará vestida de Jace Sparrow - Piratas do Carib - e a Júlia também estará nesse contexto", revelou Édson. Menina já decorou o samba-enredo

Com o samba-enredo "México, o paraíso das cores, sob o signo do Sol" na ponta da língua, Júlia mostrou desenvoltura e "samba no pé" no barracão da Viradouro, no complexo da Cidade do Samba. Fez poses para fotos com fantasia e tocando tamborim, subiu em carros alegóricos, jogou futebol com amigos e brincou de boneca. Aluna de balé e jazz, a menina de 7 anos, caçula da família Lira, desfilou pela primeira vez aos 5 anos de idade, no carnaval de 2007. Na ocasião, veio à frente da escola, na companhia do pai, fazendo sucesso com o público dos camarotes e frisas do Sambódromo. "Gosto de dançar, brincar de boneca e sou fã dos Jonas Brothers. Quando eu crescer, quero ser cantora e dançarina", contou Júlia, mostrando sua coleção de Barbies.

Mesmo de férias do colégio, onde irá cursar este ano o terceiro ano, ela tem recebido elogios dos colegas de turma e das professoras. "Além da comunidade da Viradouro ter apoiado a ideia do Marco, os coleguinhas e as professoras da Júlia adoraram tudo isso. A rotina da minha filha continua a mesma. Ela vem para o barracão e se diverte, joga futebol com os funcionários, faz lanche. É a dieta do milk-shake e do brigadeiro. Acho que a Júlia está vivendo as melhores férias da vida dela", diverte-se Mônica.

Ensaio técnico na Sapucaí foi fundamental para decisão: "Descobri que tinha um diamante em casa que não tinha lapidado", diz pai.

O recente ensaio técnico da Viradouro na Marquês de Sapucaí - uma espécie de treino com a participação de praticamente todos os componentes da escola de samba no Sambódromo, inclusive da bateria ¿ foi fundamental para a decisão do pai da menina. Ele estava em dúvida sobre quem anunciaria como a rainha de bateria da agremiação para o carnaval 2010. Nomes como o da atriz Gisele Itié e da cantora mexicana Thalia foram cogitados, mas as negociações não vingaram. "A Júlia fez mais do que imaginávamos no ensaio técnico da Viradouro. Depois disso, não tivemos mais dúvida. O posto era dela", brincou a mãe da jovem rainha dos ritmistas da única escola que representa o município de Niterói no Grupo Especial. "Ela está fazendo o que gosta. Não a obrigamos a aceitar desfilar com a bateria", completou Mônica.

Um dos maiores incentivadores de Júlia, Marco já pensava na ideia desde o carnaval de 2007, ano de estreia da nova rainha de bateria infantil. "Quem esteve no Sambódromo durante o carnaval de 2006 pôde observar a desenvoltura da Júlia na Avenida. Aquilo me chamou atenção, mas pensei: 'Não é a hora'. Tentei uma rainha de bateria mexicana, mas não foi possível. Descobri que tinha um diamante em casa que não tinha lapidado. E essa jóia é a minha filha".

Thalia pediu conta em Miami e jatinho particular para ser rainha de bateria

A atriz e cantora mexicana Thalia, que fez sucesso no Brasil ao estrelar novelas como Marimar e Maria do Bairro, exibidas na década de 1990 pelo SBT, foi convidada em janeiro para ser rainha de bateria da Viradouro. Porém, as caras exigências da artista para se apresentar na folia carioca inviabilizaram o sonho da escola de samba em ter uma estrela mexicana no seu desfile, que abordará a cultura e os costumes do país asteca no enredo "México, o paraíso das cores, sob o signo do Sol".

Pedidos como uma conta bancária em Miami, jatinho particular para a viagem de ida e volta entre a Cidade do México e o Rio de Janeiro, uma suíte de luxo no Copacabana Palace ou no Hotel Glória, além de dez seguranças exclusivos frustraram a presidência da Viradouro. "A Thalia exigiu tudo isso para desfilar na escola. Não temos condições de bancar todos esses exageros. Optamos pela prata da casa e acredito que acertamos em cheio", finalizou Marco Lira.

Júlia Lira posa à frente da bandeira da Viradouro com suas bonecas
Júlia Lira posa à frente da bandeira da Viradouro com suas bonecas
Foto: Terra
Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade