0

Mesmo com problemas, prefeitura carioca elogia Carnaval 2013

18 fev 2013
17h27
atualizado às 17h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Apesar dos problemas enfrentados com os tumultos no Cordão da Bola Preta, na coleta do lixo, da falta de táxis para turistas e moradores e das dificuldades de conexão à internet nos quatro dias de desfiles no Sambódromo, a prefeitura do Rio de Janeiro fez um balanço positivo do Carnaval carioca em 2013.

<p>A ex-BBB Mayra Cardy durante desfile da escola de samba Mangueira, na semana passada</p>
A ex-BBB Mayra Cardy durante desfile da escola de samba Mangueira, na semana passada
Foto: Dhavid Normando/Futura Press

De acordo com o secretário de Turismo da cidade, Antonio Pedro Figueira de Mello, nenhuma cidade do País tem hoje a capacidade de organizar a festa da forma ideal. “Tivemos problemas pontuais normais. O problema no Bola Preta foi uma falta de bom senso por parte da polícia, mas que já foi resolvido. Foi um bom aprendizado”, enumerou, confirmando que a fórmula de desfiles no Sambódromo surtiu resultado, inclusive em termos de audiência, e será mantida em 2014.

Segundo Antonio Pedro, mais de 5 milhões de pessoas pularam o Carnaval nas ruas, aumento de 0,19% em relação ao ano anterior. O Cordão da Bola Preta arrastou o maior público entre eles, recebendo 1,8 milhão de pessoas em seu desfile. “São números para se comemorar. Mesmo com tanta gente na rua, não houve depredação do patrimônio público, que foi cercado durante os blocos."

Próximo ano
Ainda comemorando o sucesso do Carnaval, mudanças estão previstas para 2014. O prefeito Eduardo Paes já adiantou que o número de blocos vai precisar ser diminuído. Antonio Pedro deu mais detalhes: “não podemos ter Ipanema e Laranjeiras paradas de sexta até terça-feira por conta de blocos. Vamos conversar com todos, ajustar horários e tentar facilitar a vida da população." 

Para este ano, a prefeitura usou como estratégia fazer com que blocos famosos saíssem em horas parecidas a fim de tentar diminuir o número de foliões em uma mesma via. “O Suvaco do Cristo, no Jardim Botânico, já teve um público menor neste ano", ressaltou

No entanto, apesar da diminuição no número de foliões em vários blocos, a prefeitura detectou um fenômeno novo na cidade: mesmo depois de os blocos acabarem as pessoas permaneciam ocupando as ruas que deveriam ser liberadas. “Isso foi um problema novo, porque gerou atraso na liberação das ruas e um lixo adicional” disse Antonio Pedro, prometendo conversar com os blocos seus organizadores com o objetivo de encontrar soluções para o problema em 2014.

“Vamos rever horários de blocos famosos, como o Simpatia É Quase Amor e a Banda de Ipanema. Sabemos que quanto mais tarde saem os blocos que mais chamam pessoas e temos que diminuir o impacto deles na vida da cidade", resumiu.

Veja também:

Parque de ferromodelismo é inaugurado sob pista de esqui na Alemanha
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade