0

Carnaval: polícia pode investigar relação de Gaviões da Fiel com PCC

23 fev 2012
19h26
atualizado às 23h13
  • separator
Marina Azaredo
Direto de São Paulo

Perguntado sobre uma possível relação da escola de samba Gaviões da Fiel com a organização criminal Primeiro Comando da Capital (PCC), o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, envolvido na investigação do tumulto na apuração do Carnaval de São Paulo na última terça-feira (21), disse que "não descarta nada".

Segundo o delegado, o envolvimento da torcida organizada do Corinthians com o jogo do bicho, com o tráfico de drogas e com o crime organizado "é possível" e disse que irá "mexer" no assunto.

Nesta quinta-feira (23), Gonçalves ouve os principais acusados de começar a confusão na apuração do Carnaval de São Paulo. Entre eles está o diretor da escola de samba Camisa Verde e Branco, Alexandre Salomão, o Teta, que será indiciado por supressão de documentos e dano ao patrimônio público.

Incêndio
Se o acordo que gerou tumulto na apuração do Carnaval paulistano é fruto de investigação profunda, a origem das chamas que se alastraram por um carro alegórico da Pérola Negra já é considerada esclarecida pela polícia. Segundo Gonçalves, o incêndio foi claramente causado por membros da Gaviões da Fiel, que neste ano competiu pela primeira vez com duas torcidas organizadas rivais no Sambódromo do Anhembi: a Mancha Verde, do Palmeiras, e a Dragões da Real, do São Paulo.

O fogo, no entanto, teria sido causado por uma confusão, consequência da rivalidade entre as torcidas. "Está claro pela imagem que foram eles, mas acredito que, pelo fato de o carro ser verde, eles o incendiaram por acharem que era da Mancha Verde".

Entenda o caso
Uma confusão promovida por integrantes de escolas de samba interrompeu a apuração do Carnaval de São Paulo na terça-feira (21). Faltando apenas uma nota dez para assegurar o título à Mocidade Alegre, Tiago Ciro Tadeu Faria, 29, integrante da Império de Casa Verde, invadiu a área de apuração, tomou o último envelope das mãos do leitor e o rasgou.

O tumulto se espalhou pelo entorno do Sambódromo. Torcedores foram filmados chutando os portões próximos à área da dispersão. Pouco depois, um carro alegórico da Pérola Negra foi incendiado por um grupo de torcedores da Gaviões da Fiel. A alegoria tinha estrutura de palha, representando um índio gigante, e foi totalmente destruída pelo fogo.

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Deatur, anunciou a detenção de Tiago, principal responsável pelo início do tumulto. Cauê Santos Pereira, 20, integrante da Gaviões da Fiel, também foi detido, por atirar objetos.

A polícia investiga ainda o envolvimento de integrantes de outras agremiações na confusão, entre elas a Vai-Vai, a Império de Casa Verde e a Camisa Verde e Branco, segundo o delegado.

Na própria terça, uma reunião extraordinária entre a Liga das Escolas de Samba e os diretores das agremiações foi montada para decidir o desfecho do Carnaval 2012, que deixou o título com a Mocidade Alegre.

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves foi responsável por comunicar novidades à imprensa nesta quinta (23)
O delegado Osvaldo Nico Gonçalves foi responsável por comunicar novidades à imprensa nesta quinta (23)
Foto: Diogo Moreira / Futura Press

Veja também:

Carol Francischini treina na varanda de sua casa
Fonte: Terra
publicidade