3 eventos ao vivo

Carnaval: polícia pode investigar relação de Gaviões da Fiel com PCC

23 fev 2012
19h26
atualizado às 23h13
Marina Azaredo
Direto de São Paulo

Perguntado sobre uma possível relação da escola de samba Gaviões da Fiel com a organização criminal Primeiro Comando da Capital (PCC), o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, envolvido na investigação do tumulto na apuração do Carnaval de São Paulo na última terça-feira (21), disse que "não descarta nada".

Segundo o delegado, o envolvimento da torcida organizada do Corinthians com o jogo do bicho, com o tráfico de drogas e com o crime organizado "é possível" e disse que irá "mexer" no assunto.

Nesta quinta-feira (23), Gonçalves ouve os principais acusados de começar a confusão na apuração do Carnaval de São Paulo. Entre eles está o diretor da escola de samba Camisa Verde e Branco, Alexandre Salomão, o Teta, que será indiciado por supressão de documentos e dano ao patrimônio público.

Incêndio
Se o acordo que gerou tumulto na apuração do Carnaval paulistano é fruto de investigação profunda, a origem das chamas que se alastraram por um carro alegórico da Pérola Negra já é considerada esclarecida pela polícia. Segundo Gonçalves, o incêndio foi claramente causado por membros da Gaviões da Fiel, que neste ano competiu pela primeira vez com duas torcidas organizadas rivais no Sambódromo do Anhembi: a Mancha Verde, do Palmeiras, e a Dragões da Real, do São Paulo.

O fogo, no entanto, teria sido causado por uma confusão, consequência da rivalidade entre as torcidas. "Está claro pela imagem que foram eles, mas acredito que, pelo fato de o carro ser verde, eles o incendiaram por acharem que era da Mancha Verde".

Entenda o caso
Uma confusão promovida por integrantes de escolas de samba interrompeu a apuração do Carnaval de São Paulo na terça-feira (21). Faltando apenas uma nota dez para assegurar o título à Mocidade Alegre, Tiago Ciro Tadeu Faria, 29, integrante da Império de Casa Verde, invadiu a área de apuração, tomou o último envelope das mãos do leitor e o rasgou.

O tumulto se espalhou pelo entorno do Sambódromo. Torcedores foram filmados chutando os portões próximos à área da dispersão. Pouco depois, um carro alegórico da Pérola Negra foi incendiado por um grupo de torcedores da Gaviões da Fiel. A alegoria tinha estrutura de palha, representando um índio gigante, e foi totalmente destruída pelo fogo.

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Deatur, anunciou a detenção de Tiago, principal responsável pelo início do tumulto. Cauê Santos Pereira, 20, integrante da Gaviões da Fiel, também foi detido, por atirar objetos.

A polícia investiga ainda o envolvimento de integrantes de outras agremiações na confusão, entre elas a Vai-Vai, a Império de Casa Verde e a Camisa Verde e Branco, segundo o delegado.

Na própria terça, uma reunião extraordinária entre a Liga das Escolas de Samba e os diretores das agremiações foi montada para decidir o desfecho do Carnaval 2012, que deixou o título com a Mocidade Alegre.

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves foi responsável por comunicar novidades à imprensa nesta quinta (23)
O delegado Osvaldo Nico Gonçalves foi responsável por comunicar novidades à imprensa nesta quinta (23)
Foto: Diogo Moreira / Futura Press
Fonte: Terra
publicidade