0

"Adoraria ir para a Copa do Mundo", diz Tom Cruise

Terra esteve com astro, no mesmo avião, em saga de divulgação de seu novo filme, 'No Limite do Amanhã', em Londres, Paris e Nova York

30 mai 2014
11h28
atualizado às 11h31
  • separator
  • comentários

Quando veio o convite para acompanhar Tom Cruise e Emily Blunt em três premieres – Londres, Paris e Nova York, fui obrigada a ler a mensagem umas 12 vezes, pelo menos. Pois no email dizia que os jornalistas iriam viajar no mesmo avião de um dos astros mais cobiçados do planeta. Mas, como assim? Fiz questão de dizer que não estava entendendo e queria mais informações. Afinal, a gente entrevista atores toda semana, com o tempo devidamente cronometrado, mas embarcar com eles? Esse privilégio eu nunca tinha vivido e então aceitei na hora - com o pé atrás - o convite, que dizia que essa seria uma daquelas aventuras que ocorre uma vez na vida. E tudo deu certo e lá fui eu encontrar as estrelas em Londres para dar início a essa maratona, que tinha como intuito divulgar o filme No Limite do Amanhã , e claro, fazer um termômetro da popularidade de Cruise.

<p>Tom Cruise</p>
Tom Cruise
Foto: Getty Images

Os 16 jornalistas convidados estavam de pé às quatro da manhã, horário de Londres. A ansiedade do que estava por vir é indescritível. Sabe lá o que pode acontecer, mas todos faziam questão de dizer que essa missão só é possível porque é com ele, Tom Cruise. E, quando colocou o pé no tapete vermelho, às sete da manhã, chovia muito e fazia 10 graus na capital inglesa, e aí já deu pra ver que o dia estava ganho. Ele é daqueles atores que faz questão de dar a mão, às vezes beijos e olhar nos olhos de todos os jornalistas que o esperam. Atenção: duvide das notícias de que ele está tendo um novo romance porque beijou ou falou no ouvido de alguém, ele é assim e repetiu esse carinho com todos os presentes, por várias vezes seguidas, como no looping de tempo, de No Limite do Amanhã , filme que estreiou no Brasil nesta quinta-feira (29). Com os e as fãs, não foi diferente, distribui autógrafos, selfies e sorrisos, nas três pré-estreias. E, parecia incansável, no auge dos seus 51 anos, com mais rugas do que em Top Gun, claro, mas talvez também mais charme e todas as lições apreendidas em três décadas de fama.

<p>Ao lado de Emily Blunt, Tom Cruise divulga 'No Limite do Amanhã'</p>
Ao lado de Emily Blunt, Tom Cruise divulga 'No Limite do Amanhã'
Foto: Charles Platiau / Reuters

Chegou o tão esperado momento de pegarmos carona no avião fretado. O voo saiu de um aeroporto privado de Londres e ele veio com uma grande equipe, de umas três dezenas de pessoas, mas o mais descontraído possível. Cumprimentou, novamente, um por um com beijos e abraços, querendo saber de onde éramos, e o Brasil, cá entre nós, foi o país que mais falou com carinho. Disse que ama nosso país, local que visitou diversas vezes, adoraria ir para a Copa do Mundo e sempre que passava por mim, repetia: "Brazil!!!". Durante pouco mais de uma hora de voo, entre Londres e Paris, ele e Emily Blunt circularam entre os jornalistas, pediram para não serem gravados e queriam bater papo, não sobre o filme, mas sobre o dia a dia, falar sobre futebol, infância, aqueles assuntos para quebrar o gelo. Ele, discretíssimo, falou dos filhos com carinho e do prazer de trabalhar duro para dar exemplo, mas não comentou os boatos que o rodeiam diante de sua separação de Katie Holmes. Nossa missão aí não era badalar fofocas pessoais, e sim, saber como ele é como pessoa, como se relaciona com seus colegas de trabalho, jornalistas e como dizem: "veja como uma pessoa trata o garçom ou seu próprio porteiro e saiba como ela realmente é!" O porteiro não foi junto, mas as comissárias de bordo que estavam os servindo me contaram que a gentileza com que foram tratadas até as emocionaram. “Assim ele fica ainda mais bonito”, disse uma. “Nem era tão fã, mas virei a número um agora”, diz ela que preferiu não se identificar. E para quem se apega aos detalhes: o topete ficou intacto em todo momento, o terno azul, impecável, perfume? Nada muito forte, mas agradável e não vi nem maquiador nem cabeleireiro aos arredores, provavelmente estavam lá no fundo do avião. Os jornalistas ficaram na parte da frente. Cruise a todo momento agradecia nossa presença, perguntava se estava tudo bem se faltava algo, um verdadeiro gentleman.

Pousamos em Paris e aquela multidão berrava o nome dos atores com aquele sotaque francês. Gente de todas as idades, até aquela geração que nem sabe o que foi Top Gun e como Cruise era nos idos dos anos 80. Mas cada um carregava um poster, principalmente das sequências de Missão Impossível, Minority Report: A Nova Lei e Vanilla Sky , esperando por um autógrafo que muitos levaram para casa.

De Paris a Nova York fomos em voos separados e logo na chegada os atores vieram ao encontro dos jornalistas - já com saudades? - perguntando se conseguimos descansar, dormir um pouco e mais uma vez agradeceram com beijos e sorrisos a nossa presença. Emily Blunt de vestido vermelho, parecia ter saído de um spa e não de uma viagem de oito horas de Paris - Nova York. A pré-estreia em Manhattan foi às 23h59 (4h59 no horário de Londres), "no limite do amanhã", e mais uma vez o cinquentão mostrou energia de sobra, seu poder de arrastar multidões e porque é Tom Cruise.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade