0

Anestesista diz que conduta de médico de MJ foi imperdoável

19 out 2011
21h21
atualizado às 21h24

Após criticar a falta de equipamentos e de procedimentos de Conrad Murray, médico de Michael Jackson, Dr. Steven Shafer, testemunha de acusação e anestesista especializado em Propofol, afirmou que Murray foi diretamente responsável pela morte do cantor em 25 de junho de 2009.

"É imperdoável, eu nem sei o que falar", disse Dr. Shafer sobre as ações de Dr. Murray, (como não chamar o resgate logo em seguida), afirmando que um paciente não deveria parar de respirar na frente de um médico.

A testemunha também afirmou que as atitudes de Murray prejudicam a imagem dos profissionais de medicina. "Médicos podem usar facas e cortar o corpo das pessoas. Ou trocar um joelho. Isso acontece pelo relacionamento antigo entre médicos e pacientes. Em toda casa que eu entrar, vou fazer isso pensando no bem dos meus pacientes, essa é a parte fundamental do relacionamento", afirmou.

"Quando Dr. Murray concordou em tratar insônia com Propofol, ele colocou Dr. Murray em primeiro lugar, e não Michael Jackson", concluiu o anestesista.

Anestesista, última testemunha da acusação, afirmou que Murray foi diretamente responsável pela morte do cantor
Anestesista, última testemunha da acusação, afirmou que Murray foi diretamente responsável pela morte do cantor
Foto: AFP
Fonte: Terra
publicidade