Após polêmica, Maroni reforça convite "vitalício" a Ronaldo

05 de março de 2009 • 11h17 • atualizado às 11h25
O empresário Oscar Maroni Foto: Eduardo Lopes/Especial para Terra
O empresário Oscar Maroni
05 de março de 2009
Foto: Eduardo Lopes/Especial para Terra

Marcos Rosa




Admirador do futebol de Ronaldo e torcedor do Corinthians, o empresário Oscar Maroni não ficou de fora da polêmica que envolveu o atacante na última sexta-feira e mais uma vez convidou o craque para se tornar cliente vitalício do Bahamas Club, uma das casas noturnas mais baladas da cidade de São Paulo e que permanece fechada pela Prefeitura há quase um ano e meio.

Perto de estrear pelo time do Parque São Jorge, após mais de ano afastado dos gramados por nova lesão no joelho, a mais badalada contratação do futebol brasileiro em 2009 foi punida financeiramente por ter se atrasado na reapresentação do elenco em Presidente Prudente, interior do Estado.

Segundo a assessoria de imprensa do Corinthians, o grupo deveria se reapresentar no hotel às 23h (de Brasília) de quinta, mas Ronaldo só apareceu às 5h. Enquanto dirigentes mostram insatisfação com a atitude do reforço, informações dão conta que o atacante teria visitado uma casa noturna bastante conhecida na cidade.

Diante da polêmica, o corintiano Maroni lembrou que o atacante da Seleção Brasileira nas Copas de 1994, 1998, 2002 e 2006 já esteve em sua casa notuna em outras ocasiões e reafirmou o convite feito em dezembro, quando o clube do Parque São Jorge anunciou a sua contratação e virou manchete em jornais de todo o mundo.

"Eu vi que ele está voltando à ativa de novo e por isso reafirmo o convite feito na época da sua contratação, de um Vip vitalício no Bahamas Club", disse o empresário, que se lembrou da visita ilustre que recebeu na época em que Ronaldo era solteiro, após o fim do casamento com a modelo e apresentadora Daniela Cicarelli.

"Foi uma época que ele estava sozinho e quase não cheguei a falar com ele", afirmou, confirmando que costumava receber nomes bastante conhecidos do público em seu estabelecimento e sem poupar elogios ao jogador. "O homem já nos deu muitas alegrias".

Para receber Ronaldo novamente em seu Bahamas, Maroni não esconde a satisfação ao falar de seu negócio mais rentável e, como "boêmio irrecuperável assumido", manda um recado ao jogador. "Na época que ele veio, não fez questão de manter qualquer discrição, afinal estava solteiro. Mas este convite está de pé: 'Ronaldo, saibas que o maior patrimônio do Bahamas é a privacidade'", disse Maroni, formado em psicologia e derrotado nas eleições recentes para vereador em São Paulo, pelo partido PT do B.

Descontraído, o dono de cinco empresas do grupo OW (Oscar´s World) lembrou que Ronaldo foi seu cliente utilizando a suíte número 21, a "maior e mais cara" da casa. Sem citar os gastos paralelos, Maroni disse que o reforço corintiano chegava a desembolsar cerca de R$ 2 a 3 mil por noite, costumava beber pouco e se poupava muito na alimentação.

Maroni também aproveitou para dar a sua opinião a respeito da polêmica confusão com um travesti no Rio de Janeiro, ainda no ano passado, e saiu em defesa do atacante. "Eu tenho as minhas dúvidas quanto a isso. As meninas me disseram que ele era uma fera", brincou o corintiano, que mais uma vez destacou a sua luta nos bastidores para reabrir o Bahamas.

Ao dizer que já venceu a batalha, o empresário disse que só aguarda decisão da Prefeitura para voltar a colocar para funcionar o seu império de luxo e sensualidade (como ele mesmo descreve). "Essa burocracia está atrapalhando o lazer do paulistano. Agora a decisão está na consciência da Justiça da Prefeitura do Estado de São Paulo, que já declarou que o Bahamas não pratica nenhuma atividade ilícita", reafirmou. "Me orgulho da minha atividade, me orgulho do meu trabalho e tenho a minha consciência limpa", disse.

Antes insatisfeito com a Prefeitura e com Gilberto Kassab, o empresário chegou a pendurar uma bandeira branca ao lado do Bahamas, como sinal de "paz". Em novos tempos, Maroni deixou a tristeza para trás e hoje usa o espaço para mostrar sua paixão pelo Corinthians, colocando as cores alvinegras no ponto mais alto do prédio. "Enquanto o Corinthians estiver dando emoções, mantenho ela ali", disse.

Redação Terra
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »