publicidade
27 de outubro de 2012 • 12h50 • atualizado às 18h31

Morre em Salvador a atriz Regina Dourado, aos 59 anos

Regina morreu neste sábado (27), vítima de um câncer de mama
Foto: TV Globo / Divulgação
 
Lucas Esteves
Direto de Salvador

Morreu na manhã deste sábado (27), às 11h20, em Salvador, a atriz baiana Regina Dourado, aos 59 anos. De acordo com a família, Regina perdeu a vida por volta das 11h20 no Hospital Português, onde estava internada há cerca de duas semanas.

De acordo com a sobrinha de Regina, Íris, a causa da morte foi um enfraquecimento natural do corpo devido ao processo de metástase do câncer de mama que a atriz combatia desde o ano de 2003. Ao longo das últimas semanas, Regina Dourado esteve cercada de parentes durante todo o tempo da internação, com rodízio de visitas e acompanhamento no quarto durante as noites e madrugadas.

Ela alternava momentos de sono profundo com poucos instantes despertos, nos quais tinha dificuldades de se situar e reconhecer os parentes. Apesar disto, conseguiu se manter estável durante boa parte do processo de internação, apesar de sua condição física estar bastante delicada nos últimos cinco dias em especial.

O velório, aberto ao público, acontece às 16h deste sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador, na Bahia. No próximo domingo (28), haverá uma missa também aberta ao público e depois o corpo da atriz será cremado, às 16h30, em cerimônia privada aos familiares.

Vida e carreira
Chamada de "força da natureza" pelo cineasta Marcus Vinícius César, que a dirigiu no filme Espelho D'Água - Uma Viagem no Rio São Francisco (2004), Regina Maria Dourado - ou apenas Regina Dourado - nasceu na Bahia, em 22 de agosto de 1953. Talentosa atriz, Regina atuou em vários filmes, novelas e minisséries ao longo de sua carreira. Afastada da TV desde Caminho das Índias (2008), Regina vinha se tratando de um câncer desde 2003, quando descobriu um nódulo na mama direita.

A atriz passou por intervenções cirúrgicas e sessões de quimioterapia para tratar a doença. Após retirar o primeiro tumor, no entanto, foi diagnosticado outro nódulo, em janeiro de 2010, desta vez na mama esquerda.

Apesar do sucesso como atriz, Regina, quando adolescente, gostava mesmo de dançar e cantar. Aos 15 anos, começou a estudar na Companhia Baiana de Comédia e participou do Grupo de Dança Contemporânea da Universidade Federal de Bahia, do Coral Ars Livre e do Grupo Zambo.

A trajetória na TV começou em 1978, no especial A Morte e a Morte de Quincas Berro D'água, dirigido por Walter Avancini. No ano seguinte, fez sua primeira novela, Pai Herói, de Janete Clair. Depois de atuar em Cavalo Amarelo (1980) e Rosa Baiana (1981), o sucesso veio em 1992, com a inesquecível personagem Lara Sereno, de Pão Pão, Beijo Beijo (1983).

Em mais de 20 anos na televisão, Regina passou pela TV Globo, TV Record e SBT. Entre as novelas globais das quais participou estão Roque Santeiro (1985), Renascer (1993), Tropicaliente (1994), Explode Coração (1995), O Rei do Gado (1996), Esperança (2002), América (2005), entre outras. No SBT, a baiana atuou em Seus Olhos (2004), enquanto na TV Record esteve no elenco de Bicho do Mato (2006) e Caminhos do Coração (2007).

No cinema, a primeira participação de Regina aconteceu em Amante Latino (1979), de Pedro Carlos Róvai, em que interpretou uma cigana dançarina. Em 1982, cantou na trilha sonora de O Encalhe - Sete Dias de Agonia, mas seu primeiro papel de destaque veio mesmo em 1984, com Baiano Fantasma, de Denoy de Oliveira.

O longa seguinte, Tigipió - Uma Questão de Amor e Honra (1986), de Pedro Jorge de Castro, foi a consagração da atriz como uma das grandes revelações do cinema brasileiro. Na década de 1990, atuou em três filmes: Corpo em Delito (1990), de Nuno César de Abreu, Corisco & Dadá (1996), de Rosenberg Cariry, e No Coração dos Deuses (1999), de Geraldo Moraes.

Depois de vencer a primeira etapa do câncer em 2003, Regina estrelou o aclamado Espelho D'água - Uma Viagem no Rio São Francisco (2004), de Marcus Vinícius César, que lhe rendeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Cinema de Recife.

Também no cinema recebeu os troféus de melhor atriz, em Tana's Takes (Festival de Curta-Metragem - Rio Grande do Norte), Tigipió (Prêmio da Crítica - Festival de Cinema de Gramado) e Corpo em Delito (Prêmio Sesc - São Paulo). Em 2011 e 2012, a baiana ainda participou da peça Paixão de Cristo, em Salvador, no papel de Virgem Maria.

Por seu trabalho na TV, Regina também colecionou vários prêmios, como o de melhor atriz coadjuvante em Renascer (Prêmio APCA - São Paulo), melhor atriz em Tropicaliente (Prêmio Master Jornal de Clubes - Rio de Janeiro), além de melhor cena em Explode Coração (Prêmio Cassiano Gabus Mendes - Vídeo Show - Rio de Janeiro).

Terra