inclusão de arquivo javascript

 
 

"Bang Bang" e "Prova de Amor" travam briga pela audiência

27 de novembro de 2005 13h04 atualizado às 13h06

Fernanda Lima interpreta a personagem Diana em  Bang Bang. Foto: João Miguel Júnior/Globo/Divulgação

Fernanda Lima interpreta a personagem Diana em Bang Bang
Foto: João Miguel Júnior/Globo/Divulgação

Uma luta silenciosa tem sido travada na tevê brasileira. A disputa é para conquistar os telespectadores do horário das sete. De um lado, as farsescas histórias da tórrida e imaginária Albuquerque no faroeste de Bang Bang, da Globo. De outro, uma trama urbana e contemporânea, tendo como cenário as belíssimas praias do Rio de Janeiro, de Prova de Amor, da Record.

Leia o resumo de Bang Bang
Leia o resumo de Prova de Amor

Nessa briga, são desferidos os mais variados "golpes", utilizando diversas táticas para atrair o público e, por tabela, conquistar alguns pontinhos de audiência. Mesmo assim, a contenda não tem vencedores até o momento. Isso porque a novela da Record, que estreou com média de 12 pontos, mantém-se estagnada nos 14 pontos.

Por outro lado, a trama da Globo não tem correspondido às expectativas e ostenta números abaixo do esperado. Depois de estrear com 37 pontos, a novela também está empacada na média de 29. Só que o desejável na Globo seria registrar 35 pontos, enquanto a Record ri de orelha a orelha por ter chegado aos dois dígitos e assumido o segundo lugar de audiência no horário.

Na Globo, aliás, o horário das sete se tornou a principal pedra no sapato. Desde o fim de Da Cor do Pecado, de João Emanuel Carneiro, com média de 38 pontos e picos de 44, nenhuma das novelas seguintes conseguiu repetir o mesmo desempenho. Pelo contrário. Começar de Novo, de Antonio Calmon, por exemplo, teve pífia média de 28 pontos. Já A Lua Me Disse, de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa, embora não tenha feito sucesso, conseguiu manter média de 32 pontos. Bang Bang, contudo, tida como uma trama ousada, não tem conseguido despertar o interesse dos telespectadores.

Escrita atualmente por Renata Prates, já que o autor Mário Prata teve de se desligar por problemas de saúde, a novela tem um aspecto um tanto curioso. Bang Bang não está sendo capaz de reter o público, apesar de sempre receber a boa audiência de Alma Gêmea. Os telespectadores parecem abandonar a emissora assim que termina a trama das seis, que ostenta a alta média de 38 pontos - no capítulo do dia 16 de novembro, por exemplo, a novela alcançou o recorde de 43 pontos, índice digno de uma trama das oito.

Os motivos para o "êxodo" podem ser os mais variados. Os grupos de discussão de Bang Bang, por exemplo, já constataram que os telespectadores não estão assimilando as histórias da novela e não se sentem refletidos na tevê. Ao contrário do que acontece com Prova de Amor, que apresenta trama mais próxima da realidade, a produção da Globo utiliza personagens que não fazem parte do imaginário do seu público. Outro motivo para os baixos índices de Bang Bang também pode ser atribuído ao humor sutil da novela, com piadas que beiram o sarcasmo. Além das finas ironias, a trama tem narrativa bastante lenta, arrastada como os "spaghetti-westerns" de Sergio Leone, enquanto que os telespectadores do horário estão acostumado com um ritmo mais ágil.

Diferentemente da Globo, a Record não arriscou inovar. Muito pelo contrário: a emissora faz um básico "feijão com arroz", bem ao gosto do público. Apostou numa trama atual, que tem como cenário as belas paisagens cariocas, com direito a muitos corpos "malhados" e situações dramáticas que prendem os telespectadores. O resultado é que Prova de Amor tem se revelado uma grande surpresa. Com histórias bem amarradas, o "universo" representado mostra-se mais próximo da realidade comum dos telespectadores.

Outro ponto a favor é que a novela conta com uma trama que explora os conflitos entre mocinhos e vilões. Os personagens, aliás, têm perfis bem definidos e delineados. Além disso, o humor também se faz presente, na "pele" do taxista Padilha, de André Mattos, responsável por suavizar a novela de Tiago Santiago. Pela tendência de evolução da audiência, pode ser que a novela da Record consiga reduzir ainda mais a distância de audiência para a produção global. Se isso ocorrer, é provavel que Ben Silver, Diana Bullock e companhia acabem caindo do cavalo.

TV Press