inclusão de arquivo javascript

 
 

"Linha Direta" retorna com cenário estratégico

02 de abril de 2006 13h36

Linha Direta reestréia na próxima quinta-feira, na TV Globo, com novo cenário, projetado para firmar a isenção e precisão do relato dos fatos. O programa já ajudou à polícia a capturar 355 foragidos em seis anos de exibição.

A atração ganha cenário maior e nova cenografia em acrílico, chapa de aço, mármore, couro prateado e madeira, elementos presentes entre as últimas tendências da arquitetura deste segmento no mundo. O ambiente moderno e clean é estratégia para assinalar a insenção do programa e permitir que Domingos Meirelles apresente o programa com imparcialidade necessária sem, contudo, menosprezar as emoções experiemtnadas pelas vítimas, parentes e amigos.

"Fazemos jornalismo orientados pelo padrão de qualidade da TV Globo que zela pela informação precisa, a ética e o respeito ao público, normas editoriais que norteiam a Central Globo de Jornalismo", explica o diretor geral Milton Abirached.

O primeiro caso de Linha Direta trata de um triângulo amoroso no qual a vítima é uma jovem de 19 anos, assassinada por um homem casado. O programa apresentará nesta mesma noite a história de Alexandre que é morto em São Roque, interior de São Paulo. Aos 27 anos, o jovem é conhecido por ser um homem de múltiplas facetas. Homossexual assumido, aos poucos, supera o preconceito tanto da família quanto da sociedade. No local onde foi encontrado morto, há sinais de luta e os documentos do acusado do crime, que está foragido.

O primeiro Linha Direta Justiça exibirá este ano, em abril, "Os Crimes da Rua do Arvoredo", que aconteceram em 1864, em Porto Alegre, caso famoso no Rio Grande do Sul. O acusado José Ramos, é considerado um dos maiores serial killers brasileiros. Entre os atores que participam desta reconstituição estão Carmo Dalla Vechia, Natalia Lage, Edson Fieschi, Ricardo Petraglia, Castrinho e Chica Xavier.

Redação Terra