inclusão de arquivo javascript

 
 

Lentamente, "Cidadão Brasileiro" conquista o 2º lugar do Ibope

24 de junho de 2006 13h04

Cidadão Brasileiro, da Record, parece uma novela de antigamente. Não só pelos temas e a abordagem deles na trama, mas também pelo ritmo da produção. As cenas são longas, sem o frenesi típico das novelas globais. Essa falta de velocidade pode gerar desinteresse nas histórias, mas também convida a uma postura mais contemplativa diante da tevê. E talvez seja exatamente o fato de ser uma antítese da lógica global que tem ajudado o desempenho da novela no Ibope. Desde a estréia, a trama de Lauro César Muniz mantém a média de 12 pontos na audiência, com picos de 20. No mesmo horário, às 20 h, a Globo freqüenta a casa dos 46 pontos. Nem mesmo a saída do diretor Flávio Colatrello para a entrada de Ivan Zettel se refletiu no ritmo da trama. A única diferença foi no quesito de iluminação. Atualmente, não se vê mais a quantidade exacerbada de sombras que tinha no começo.

Leia o resumo de Cidadão Brasileiro

Mas as diferenças de Cidadão Brasileiro para uma típica novela global não param aí. Apesar de misturar elementos tradicionais, como romance, intrigas e traições, a novela não tem nenhum núcleo infantil e nem histórias de amor entre adolescentes. E a Record pode realmente se dar ao luxo de deixar de fora nacos de audiência, como jovens e crianças - coisa impensável para a Globo. Como não tem aqueles famigerados trilhos de audiência da Globo, Cidadão Brasileiro tem um pouco mais de liberdade para correr alguns riscos e buscar uma fatia mais específica do público.

Por isso, todos os romances da trama são entre casais mais velhos. O único existente namoro entre jovens já foi por água abaixo. O mancebo Marcelo, interpretado por Bruno Ferrari, resolveu trocar a bela namorada Eleni, vivida por Maytê Piragibe, por sua mãe Tereza, personagem de Luísa Tomé. E alguns desses romances se sobressaem bem. Caso do triângulo amoroso entre Antônio Maciel, Luíza e Carolina, interpretados, respectivamente, por Gabriel Braga Nunes, Paloma Duarte e Carla Regina.

As duas atrizes, por sua vez, dão um show à parte. Em todos os momentos em que suas personagens se defrontam, elas conseguem dar um leve "tom" de humor e não deixam a seqüência ficar pesada e cheia de animosidade. Gabriel também não faz feio na pele de protagonista. O ator está seguro e bem à vontade em cena. Ele, inclusive, deixa mais leve os diálogos do personagem, que muitas vezes parecem um longo e cansativo discurso.

O que também tem se destacado na novela é o destemido amor entre Celso e Maura, vividos por Leonardo Brício e Mônica Carvalho. As eternas idas e vindas do casal geram um certo frisson. Outro ponto positivo da trama é a riqueza de detalhes nas cidades cenográficas. Todos os ambientes foram primorosamente montados. Os figurinos também não deixam a desejar.

TV Press