inclusão de arquivo javascript

 
 

Carlos Vieira comemora papel em "Paixões Proibidas"

10 de dezembro de 2006 11h57

Desde pequeno, Carlos Vieira já acompanhava as novelas brasileiras em Portugal. Fã de nossos atores, o ator lembra-se até hoje da primeira vez que assistiu a Gabriela.

Fotos: ampliadas de famosos!

"Foi uma das primeiras novelas brasileiras exibidas em Portugal e o país ficou rendido, apaixonado pelo sotaque e pela produção", recorda-se o ator que já tem 24 anos de carreira.

Em Paixões Proibidas, sua primeira novela no Brasil, o ator vive Arthur, um homem sem personalidade, mimado, viciado em jogos e dependente da irmã.

Mesmo sabendo que o personagem não vai até o fim da trama - ele morre na próxima semana - o ator já se diz satisfeito por ter mostrado seu trabalho no Brasil. "Não sei o que pode acontecer no futuro, mas é claro que será um prazer trabalhar por aqui de novo", acredita o simpático português.

Veja o perfil do ator:

Nome: Carlos Manuel Jesus Vieira
Nascimento: Em 7 de outubro de 1970, em Lisboa, Portugal
Primeiro trabalho na TV: A série Diário de Maria, em Portugal, 1998
Momento Marcante: "Não dá para definir um. Creio que quando estiver com mais anos de carreira, poderei citar algum"
O que gosta de assistir: Telejornais, biografias, filmes e documentários
O que falta na televisão: "Uma programação mais variada, com boas séries. Além de mais documentários"
Ator: Raul Cortez
Atriz: Marília Pêra
Com quem gostaria de contracenar: "Não tenho preferência. É um prazer contracenar com qualquer ator"
Se não fosse ator, seria: Ator. "Não me vejo em outra profissão"
Humorista: Jô Soares
Novela preferida: Gabriela, de Wálter George Durst, de 1975
Vilão marcante: Perpétua, personagem de Joana Fomm, em Tieta
Melhor abertura de novela: Paixões Proibidas
Papel que teve mais retorno do público: Novela Mundo Meu, em Portugal
Filme: O Paciente Inglês, de Anthony Minghella
Livro de cabeceira: Carnaval no Fogo, de Ruy Castro
Diretor: Ignácio Coqueiro
Par romântico inesquecível: Gabriela e Nacib, de Sônia Braga e Armando Bógus, em Gabriela
Uma mania: "Não é bem uma mania, mas nunca fico satisfeito. Procuro sempre me aperfeiçoar em tudo, principalmente no trabalho"
Um medo: "De não ter medo"

TV Press