1 evento ao vivo

Testemunha diz que médico de MJ comprou 225 frascos de propofol

4 out 2011
18h47
atualizado às 18h54

O sexto dia de julgamento do Dr. Conrad Murray, acusado de matar Michael Jackson, terminou sem maiores novidades. Durante seu testemunho, Tim Lopez, farmacêutico do médico, afirmou que o primeiro pedido de propofol feito por Murray aconteceu em abril de 2009, quando ele pediu 35 frascos. O julgamento será retomado nesta quarta (5), às 12h45, horário de Brasília.

No mesmo mês, Conrad Murray pediu ao farmacêutico mais 65 frascos do medicamento. De abril a junho de 2009, Tim Lopez entregou 225 frascos de Propofol, 20 de Lorazepam e 60 de Midazolam no apartamento de Nicole Alvarez, namorada do réu. A testemunha afirmou que não sabia que Murray era médico de Michael Jackson.

A primeira encomenda do anestésico foi entregue no consultório do médico de Michael Jackson em Las Vegas, mas depois começaram a ser enviados para seu consultório em Santa Monica, Los Angeles, na verdade, o endereço de sua namorada.

Segunda pessoa a depor no julgamento de Dr. Murray, Lopez disse também que o médico entrou em contato em busca de um creme para clarear a pele. "Ele disse que tinha muitos pacientes afro-americanos interessados neste creme clareador de pele, especialmente um, que tinha vitiligo", explicou.

Primeira testemunha
Nicole Alvarez, ex-stripper e namorada do médico de Michael Jackson, foi a primeira ser interrogada nesta terça-feira (4). Ela contou que não sabia quanto Dr. Murray iria ganhar para cuidar do cantor na turnê de This Is It.

"Eu não sabia quanto ele ia ganhar na época. Descobri o valor pelo jornal e pela TV", disse, hoje, a atriz. Porém, a promotoria leu um antigo depoimento de Nicole dizendo que viu o contrato de US$ 150 mil mensais que o médico ia ganhar pelo serviço em seu apartamento. Ela rebateu que sua memória poderia estar meio confusa.À promotoria, Nicole disse que Dr. Murray tratava do cantor quase todas as noites, saindo de sua residência perto das 21h e voltando pela manhã.

O caso
Dr. Conrad Murray é acusado de matar o cantor Michael Jackson com um dose letal de propofol no dia 25 de junho de 2009, poucos dias antes do astro pop iniciar a turnê de 50 shows This Is It.Seu julgamento, com júri popular, deu início na última sexta-feira, 27 de setembro, e deve ser por cinco semanas. A promotoria do caso alega "grosseira negligência" do médico na dosagem do anestésico, enquanto a defesa diz que Michael Jackson teria se automedicou até a morte.

O julgamento de Conrad Murray acontece nesta quarta-feira (5)
O julgamento de Conrad Murray acontece nesta quarta-feira (5)
Foto: AFP
Fonte: Terra
publicidade