PUBLICIDADE

Andreoli sobre agressão: será que ele daria tapa em repórter da Globo?

9 mai 2012 14h44
| atualizado às 15h17
Publicidade
Elisa Feres

Depois de ter divulgado em seu Twitter a agressão cometida pelo Deputado Marcio Reinaldo Moreira (PP-MG), nesta terça-feira (8), durante gravação do programa CQC, da TV Bandeirantes, Felipe Andreoli conversou com o Terra sobre o caso. "Será que ele teria dado um tapa em um repórter da Globo?", questionou o humorista, que disse ainda ter sido fortemente ofendido pelo político. "Sou jornalista formado assim como o Heraldo Pereira, como a Ana Paula Padrão. Ele tem que me respeitar da mesma maneira", completou.

"As ofensas foram de 'seu merda' para baixo", disse o integrante do CQC
"As ofensas foram de 'seu merda' para baixo", disse o integrante do CQC
Foto: Getty Images

De acordo com Andreoli, ele estava no Congresso, em Brasília, fazendo uma reportagem sobre a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do trabalho escravo no Brasil. Ao encontrar com o Deputado Marcio Reinaldo Moreira, perguntou se ele não achava injusto as pessoas terem que esperar tanto tempo para uma votação como aquela. Como resposta, obteve apenas a agressão.

Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Terra - Além da agressão, você comentou que foi ofendido. O que o deputado falou exatamente?
Felipe Andreoli - Os xingamentos foram de 'seu merda' pra baixo. Aquela síndrome dos pequenos poderes, falando 'quem é você pra perguntar ou falar assim comigo'. Mas eu estava tão nervoso na hora que nem ouvi tudo que ele falou.

Terra - Você já tinha, no mesmo dia, conversado com outros políticos dentro dessa mesma pauta? Como eles haviam reagido?
Felipe Andreoli - Já havia feito a mesmíssima pergunta para uns 4 ou 5 parlamentares e todos responderam sem qualquer tipo de ofensa ou agressão. Quando repercuti a agressão com os deputados, eles simplesmente não acreditaram que ele tinha me agredido por causa daquilo.

Terra - Você já havia tido algum contato com o Deputado Marcio Reinaldo Moreira anteriormente?
Felipe Andreoli - Não fazia a mínima ideia de quem ele era. Agora descobi que o cidadão é candidato a prefeito de Sete Lagoas - MG. Espero que o povo da cidade não vote em um cara desses. Pesquisando sobre seu histórico descobri uma série de denúncias e de medidas que ele tentou aprovar que me mostraram bem quem é o 'nobre deputado'. Pesquise e verá que coisa boa não é...

Terra - Você disse ter ficado com medo e hesitado antes de ir à polícia. O que o fez mudar de ideia e concluir o boletim de ocorrência?
Felipe Andreoli - Por mais que eu - e ele - saiba que nada demais vai acontecer, que no máximo ele vai pagar umas cestas básicas que não farão falta em seu orçamento, fiz isso por minha dignidade, por minha equipe que estava lá comigo e pela imprensa brasileira. Será que ele teria dado um tapa na cara de um repórter com o microfone da Globo? Eles acham que porque a gente é do CQC podem fazer isso. Não podem. Sou jornalista formado assim como o Heraldo Pereira, como a Ana Paula Padrão. E ele tem que me respeitar da mesma maneira.

Terra - A equipe do CQC apoiou sua atitude?
Felipe Andreoli - A equipe que estava comigo me acompanhou na delegacia e testemunharam como pessoas que viram a cena. Imediatamente liguei para a TV Bandeirantes que me apoiou e me deu todas as instruções na hora de fazer o boletim de ocorrencia. O apoio da emissora é e foi fundamental para entrar nessa 'briga'.

Terra - O que pretende fazer agora? Pretende ir atrás do deputado novamente?
Felipe Andreoli - Ah sim, claro. Não tenho medo dele. Vou levar o BO para ele dar uma lida, ver que eu não esqueci nada do que ele fez ou falou. Provavelmente ele vai ficar mudinho. Ou alegar que não fez nada. É que negar é especialidade de político.

Fonte: Terra
Publicidade