1 evento ao vivo
TV

Aos 66 anos, Marieta Severo se divide entre série e trabalhos fora da TV

14 jun 2013
21h33
atualizado às 21h33
  • separator
  • 0
  • comentários

Atuar há 12 anos em um mesmo programa tornou-se uma espécie de zona de conforto para Marieta Severo, a doce Dona Nenê de A Grande Família. Viver a matriarca da família Silva atribuiu à consagrada atriz uma maior liberdade artística fora da televisão a partir de uma flexibilidade no esquema de gravações – principal queixa de muitos profissionais que emendam novelas.

<p>Atriz vive&nbsp;Dona Nen&ecirc;, da s&eacute;rie global &#39;A Grande Fam&iacute;lia&#39;</p>
Atriz vive Dona Nenê, da série global 'A Grande Família'
Foto: Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias

"Fiz vários personagens no cinema e no teatro. O que nos garante essa sobrevida no seriado são os trabalhos por fora. Você volta renovado e com uma nova roupagem'', explica ela, que afirma que a ideia de passar anos em um mesmo papel era inimaginável no início do projeto. ''Doze anos em um mesmo papel? Não, obrigada. Seria loucura. Mas, hoje, eu olho para trás de forma prazerosa e não queria estar em outro lugar. Me orgulho de fazer parte de um programa de alta qualidade'', valoriza.

Aos insuspeitos 66 anos, Marieta incorpora uma das grandes ''mãezonas'' da televisão brasileira. Com fala mansa e decidida, o temperamento afetuoso e gentil da personagem já se assemelha à personalidade desta carioca muito lembrada na história das telenovelas pelos papéis de mulheres finas e elegantes, como a Alma de Laços de Família. Apesar das semelhanças, Marieta acredita que o público brasileiro saiba reconhecer a diferença entre atriz e personagem.

"São anos no mesmo papel e o telespectador já tem uma intimidade com a gente. Mas o brasileiro é craque em dramaturgia. Não existe isso de jogar pedra no vilão'', conta ela, relembrando o fato de ter sido agredida em Copacabana, bairro da zona zul do Rio de Janeiro, na época em que interpretou a misteriosa assassina Eden de Bassora, na novela O Sheik de Agadir. ''Eram outros tempos. Era uma trama sem compromisso com a realidade. Foi a primeira vez que fiz uma vilã e foi um ano de estreia para mim'', lembra.

Apesar do longo período interpretando a mesma personagem, Marieta acredita que a cada estreia de temporada é um novo papel se reinventando. Afinal, para a atriz, seria impossível "congelar" Dona Nenê ao longo dos anos. ''Qualquer novidade é importante e estimulante. Tenho um domínio muito grande desse papel. Hoje, ela trabalha fora. Muito diferente da primeira temporada em que ela vivia para a família apenas'', compara.

Além disso, Marieta admite que a peculiaridade de envelhecer juntamente com a personagem foi algo que mais a surpreendeu durante a produção. ''Uma geração me acompanhou e cresceu me vendo nesse mesmo papel. É bonito ver como a dramaturgia segue lado a lado com a vida real. E, agora, a gente vai se alimentando de histórias do passado do seriado'', aponta.

Com 47 anos de carreira, Marieta segue uma política pessoal de não viver do passado e sem arrependimentos nas escolhas profissionais desde sua estreia em O Sheik de Agadir. ''Penso no que faço agora e não no que poderia ter acontecido. Mas sei que minha trajetória é feita de sucessos e outros trabalhos nem tão bons assim. Mas me sinto bem dentro dela'', pondera a atriz, que gosta de montar suas personagens através da observação. ''Não identifico coisas concretas. O ator é um depositário. Passa a vida observando'', completa.

Arquitetura de um sonho
Manter um legado artístico é o sonho de boa parte dos atores. Por isso, Marieta Severo sempre alimentou o antigo desejo de ser dona de um teatro. Em junho, completa oito anos que a atriz se uniu à amiga Andréa Beltrão  – que também participou de A Grande Família entre os anos de 2002 e 2009 – para construir o Teatro Poeira.

O antigo sobrado localizado em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, abriga a exibição de peças, oficinas e cursos de informação e aperfeiçoamento artístico. ''Era um grande sonho. E tive como conciliar esse sonho com o seriado. Me sinto fazendo história na cultura nacional'', orgulha-se.

Seis anos após a construção do Poeira, Marieta e Andrea decidiram comprar o espaço ao lado do teatro para abrir um local anexo ao casarão, o Poeirinha. O local mantém, de forma experimental, uma área para ensaios e oficinas. ''Dois teatros ocupam muito o tempo. É trabalhando de segunda a domingo. Mas é um prazer enorme dedicar essa atenção a um sonho'', vibra.

Instantâneas
# A última novela de Marieta Severo foi nos anos 2000, em Laços de Família, onde viveu a sofisticada Alma.

# Pelo papel em Laços de Família, ela ganhou o prêmio APCA de Melhor Atriz de Televisão.

# Marieta já interpretou inúmeras mulheres famosas no cinema, como Carlota Joaquina e Lucinha Araujo, mãe do cantor Cazuza.

# Antes de ser atriz, Marieta sonhava em ser bailarina e por isso estudou balé clássico durante muitos anos. Mudou de ideia aos 16, quando conheceu o curso de teatro do Tablado e a professora Maria Clara Machado. 

Fonte: TV Press
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade