0
TV

Claudia Alencar se destaca pela autenticidade de personagens

18 dez 2011
21h09

Claudia Alencar sempre teve uma queda por personagens exóticas. Muitas delas povoaram o imaginário do público em tramas como Tieta, onde ela interpretava Laura, que virava a temida Mulher de Branco, que atacava os homens nas noites de lua cheia. Ou a Patativa, uma das três mulheres do trígamo Tabaco, vivido por Osmar Prado em Roda de Fogo. Por isso, Claudia assegura que nem se surpreendeu quando foi chamada às pressas para entrar em Vidas em Jogo, da Record.

Na trama de Cristianne Fridman, esta atriz paulista interpreta Adalgisa, mulher de Dona Augusta, de Denise Del Vecchio, uma transexual. Ela decidiu mudar de sexo ainda casada com Adalgisa. No entanto, antes da cirurgia, o casal teve Raimundo, de Rômulo Arantes Neto. "Achei maravilhoso, ousado e moderno a Record tratar desse assunto. As novelas precisam dessas ousadias. A sexualidade das pessoas é difusa, cada um sabe do que gosta. O amor delas na história independe da definição sexual", elogia.

Nome: Claudia Gomes de Alencar.
Nascimento: Em 12 de julho de 1950, em São Paulo.
Primeiro trabalho na TV: "Em 1972, fiz um teleteatro na Globo com o Antunes Filho: Somos Todos do Jardim da Infância. Fiz a protagonista e tinha o Antônio Fagundes como meu galã".
Atuação inesquecível: "Muitas. Tive vários auges. As que mais gostei foram a Teresa de Prova de Amor, a Patativa, de Roda de Fogo, e a Perla Menescal, de Fera Ferida".
Interpretação memorável: Glória Pires em "Mulheres de Areia", como as gêmeas Ruth e Raquel.
Ao que assiste na TV: "CQC", "Desperate Housewives" e "Vidas em Jogo".
Ao que jamais assistiria: "Nada com violência e programas 'trash'".
O que falta na televisão: "As novelas poderiam ser mais ousadas. O nível de interpretação, texto e direção está aquém do que era nas décadas de 70 e 80. Não temos mais uma novela como Saramandaia ou Roque Santeiro".
O que sobra na televisão: "Porcarias".
Ator: Lima Duarte.
Atriz: Laura Cardoso.
Com quem gostaria de contracenar: Lima Duarte.
Se não fosse atriz, seria: "Escritora, psicanalista, dançarina, pintora".
Novela preferida: "Dancin' Days", de Gilberto Braga.
Cena inesquecível na TV: "Glorinha Pires com a Regina Duarte, como Maria de Fátima e Raquel, em Vale Tudo. Elas conversavam normalmente, mas a Maria de Fátima estava enganando a mãe".
Melhor abertura de novela: "De Tieta, que a Isadora Ribeiro se transformava em uma árvore".
Canção de trilha sonora inesquecível: "Garotos II - O Outro Lado", do Leoni, de "Fera Ferida".
Vilão: Renato Mendes, de Fábio Assunção, em "Celebridade".
Personagem mais difícil de compor: "A Adalgisa, porque entrei de uma hora para outra na novela".
Papel que trouxe mais retorno do público: "A Patativa, de Roda de Fogo".
Que novela gostaria que fosse reprisada: "Dancin' Days".
Personagem que gostaria de interpretar: "Gabriela, do romance de Jorge Amado. Ela independe da idade. Poderia fazer no teatro".
Par romântico inesquecível: "Thiago Lacerda e a Ana Paula Arósio, como Matteo e Giuliana, em Terra Nostra".
Com quem gostaria de fazer par romântico: Antônio Fagundes.
Filme: "A Pele que Habito", de Pedro Almodóvar.
Livro: "Todos da Katherine Mansfield".
Diretor: Walter Salles.
Autor: O cineasta japonês Akira Kurosawa.
Vexame: "Nunca sei o nome das pessoas".
Mania: "Deixar todas as pias limpas e secas".
Medo: "Vários. De ficar doente e sofrer e de não ter dinheiro no futuro".
Projeto: "Meu filme, meu livro e minha peça que vou fazer, onde falo sobre as provas da existência de Deus".

Claudia Alencar tem 40 anos de televisão
Claudia Alencar tem 40 anos de televisão
Foto: Luiza Dantas / Carta Z Notícias / Divulgação
Fonte: TV Press

compartilhe

publicidade
publicidade