TV

publicidade
09 de julho de 2010 • 19h18

Filho de "Chaves" desmente briga judicial com "Chiquinha"

Maria Antonieta de las Nieves, a intérprete de Chiquinha, afirma que o processo continua
Foto: Reprodução

O produtor Roberto Goméz Fernández, filho de Roberto Gómez Bolaños, o intérprete de Chaves, desmentiu que seu pai tenha entrado na justiça contra María Antonieta de lãs Nieves, pelos direitos da personagem Chiquinha.

Em entrevista ao site mexicano Notimex, o produtor afirma que seu pai não tem qualquer intenção de voltar ao tribunal.

Desde 1995, Maria tem os direitos sobre a personagem, depois que Roberto Goméz Bolaños se esqueceu de renová-los por engano. Na época, ele chegou a abrir um processo, mas entrou em acordo, cedendo sua parte.

Um dos grandes problemas de Bolaños é que Chiquinha já não está na sua carteira de negociações há alguns anos. Apesar do seriado continuar popular em diversos países, o diretor, criador e roteirista não pode vender a imagem da personagem para a fabricação de bonecos ou mesmo incluí-lo no desenho animado inspirado no programa de TV, exibido pela Televisa, no México, e pelo SBT, no Brasil.

Apesar de negar a disputa judicial, Roberto não escondeu o rancor pelo fato de seu pai ter perdido os direitos. "Nós somos os mais afetados com isso porque não podemos fazer uso dessa personagem sem prévia autorização", explica. "Na troca de 'favores', ninguém nunca cede e acabamos sempre na estaca zero".

Foi a própria Maria Antonieta de las Nieves, que disse, em entrevista, que as disputas judiciais continuam, embora não tenha mais "forças" para continuar lutando no processo. "Não tenho tempo, nem dinheiro para ficar pagando advogados. Isso afeta meu sistema nervoso, me sinto inquieta. Meu advogado me disse que eles voltaram com o processo e eu não tenho forças para continuar. Não sei até quanto tempo terei direitos sobre a Chiquinha", disse.

Resta saber quem realmente está falando a verdade. Na imprensa mexicana, já se fala sobre um outro acordo feito em sigilo entre as duas partes, para evitar escândalos.

Redação Terra