1 evento ao vivo
TV

Humberto Carrão vive seu primeiro vilão em 'Malhação'

16 mar 2009
07h28
atualizado às 07h37

Márcio Maio




Humberto Carrão conseguiu, de uma vez só, realizar dois projetos profissionais. Intérprete do inconseqüente Caio de Malhação, da Globo, o ator não esconde a satisfação em encarnar seu primeiro vilão na TV, um desejo antigo.

E, além disso, voltou a trabalhar na novelinha infanto-juvenil que o tornou conhecido do grande público em 2004, quando viveu o inquieto Diogo.

Ter participado da temporada de maior sucesso do projeto - na época, o folhetim chegava a dar picos de quase 50 pontos, a mesma audiência de Senhora do Destino, exibida no horário nobre da emissora - chegou a preocupar algumas pessoas da equipe, mas Carrão não se importa.

"O público de Malhação se renova a cada ano. Nunca acreditei que isso pudesse me prejudicar. E, pelo menos até agora, eu não estava errado", garante.

Aos 17 anos, Humberto já possui um currículo extenso na TV. O ator estreou em 2002, no programa Alô, Vídeo Escola, do canal Futura, e, além de Malhação, já participou também de Bang Bang e da última temporada do Sítio do Picapau Amarelo "Hoje já sinto um pouco mais de segurança para mostrar o meu valor no ar", atesta ele, que se prepara para começar também o curso de Cinema na PUC.

Nome: Humberto Halbout Carrão Sinoti.
Nascimento: 28 de agosto de 1991, no Rio de Janeiro.
Primeiro trabalho na TV: Em Bambuluá, em 2001, na Globo. "Eu fazia umas ceninhas de vez em quando".
Sua atuação inesquecível: O Caipora do Sítio do Picapau Amarelo.
Interpretação memorável: Javier Bardem, em Mar Adentro, de Alejandro Amenábar.
Momento marcante na carreira: "Participei de um episódio de Carga Pesada e, no final, ao encarar o Antônio Fagundes, ele bateu nas minhas costas e disse 'muito bom'".
A que assiste na TV: Novelas e filmes.
A que nunca assiste: "Programas que só abordam fofocas".
O que falta na TV: "Valorização à cultura nacional. Já exploram bem, mas poderia ser ainda melhor".
O que sobra na TV: Futilidade.
Ator: Raul Cortez.
Atriz: Laura Cardoso.
Com quem gostaria de contracenar: Wagner Moura.
Se não fosse ator, seria: Executivo.
Humorista: Adam Sandler.
Novela: Por Amor, de Manoel Carlos, exibida em 1997 pela Globo.Vilão marcante: Olavo, de Wagner Moura, na novela Paraíso Tropical, da Globo.
Papel que mais teve retorno do público: Diogo, da temporada de 2004 de Malhação.
Que novela gostaria que fosse reprisada: "Adoro todas do Manoel Carlos e já reprisaram as melhores recentemente".
Par romântico inesquecível: Florentino e Fermina, de Javier Bardem e Giovanna Mezzogiorno, no filme O Amor nos Tempos do Cólera, de Mike Newell.
Com quem gostaria de fazer um par romântico: Julianne Moore.
Filme: Antes do Anoitecer, de Julian Schnabel.
Livro: Capitães da Areia, de Jorge Amado.
Autor: Fernando Pessoa.
Diretor: Walter Salles.
Vexame: "Um dia eu estava concentradíssimo numa cena do Sítio do Picapau Amarelo e um diretor me perguntou se estava ouvindo uma instrução dele e eu respondi 'ouvo, ouvo'. Pronto, até o final do trabalho eu fiquei conhecido como o Ouvo".
Mania: "De olhar o celular para ver se alguém me ligou".
Medo: "Da violência".
Projeto: "Estudar Cinema na Espanha e poder entrar no mercado de trabalho internacional. Acho muito legal o que o Rodrigo Santoro e a Alice Braga estão conquistando."

Humberto Carrão interpreta Caio em 'Malhação'
Humberto Carrão interpreta Caio em 'Malhação'
Foto: TV Globo / Divulgação
Fonte: TV Press

compartilhe

publicidade