0
TV

Marcos Pasquim sonha em estrear no horário nobre da Globo

5 dez 2009
09h21

Marcos Pasquim, o Dênis de Caras & Bocas, quer sair da faixa das sete. O ator, que começou a carreira em 1995 na pele do Cosme de Cara e Coroa, nunca trabalhou no chamado horário nobre e sonha com um papel numa trama mais densa. "Por favor, façam uma campanha. Já tenho até o nome. Pode ser 'Pasquim para as oito'", brinca o sempre bem-humorado ator. Entre os autores com os quais gostaria de trabalhar, ele destaca Manoel Carlos, Gilberto Braga e Glória Perez.

Enquanto sua campanha não emplaca, Pasquim se diverte nos estúdios de "Caras & Bocas". Dênis é o personagem que mais contracena com a chipanzé Kate, que na novela "interpreta" o macaco Xico. As brincadeiras entre os dois são inevitáveis. Até porque, toda vez que vai gravar, ele é obrigado a cumprir um ritual que inclui entrar na jaula e catar piolhos pelo corpo do animal. "Vi que os macacos fazem isso entre eles em um documentário na tevê e resolvi copiar para ganhar a confiança de Kate. Deu certo", comemora.

Caras & Bocas é a primeira novela de Pasquim em que ele aparece vestido em grande parte das cenas. "Só tiro a camisa nas cenas de amor", diz o ator. Por conta disso, de vez em quando ele é alvo de piadinhas dos colegas. "Já ouvi muito as pessoas falarem que não me reconhecem quando estou vestido. Eu encaro como uma fase", minimiza. Para provar que não se importa com a opinião alheia, Pasquim é categórico: "Antonio Fagundes só andava sem camisa no começo da carreira".

Pasquim garante que não vê problemas se tiver de andar sem camisa num próximo trabalho."Enquanto o corpo estiver bem e os autores quiserem usar, eles vão usar. Daqui a pouco vou ficar velho e não vai dar mais", observa. Com a volta de Simone, papel de Ingrid Guimarães, Pasquim deve voltar a aparecer sem camisa. Afinal de contas, a personagem reaparece para dizer a Dênis que ele é o verdadeiro pai do filho dela. A partir daí, os dois vão voltar a ficar juntos, com muitas cenas românticas e sensuais. "Não sofro com isso. Não tenho problema com o meu corpo", admite. Pasquim afirma que torcia mesmo pela união dos dois. "Novela tem de ter final feliz", diz.

Mesmo acostumado a fazer novelas de ritmos acelerados com Carlos Lombardi, como Uga-Uga, de 2000; Kubanacan, de 2003; e Bang Bang, de 2006; e a minissérie Guerra e Paz, de 2007, Pasquim jura que não tira de letra as cenas de ação. "É muito difícil brigar, falar, se preocupar com a câmara e com o texto. É muita coisa para coordenar ao mesmo tempo", assume.

Depois que Caras & Bocas terminar, em janeiro, Pasquim quer tirar um tempo para descansar. "Pretendo viajar para recarregar as energias, mas ainda não defini o roteiro", diz. Quando voltar das férias, o ator vai dirigir dois curtas, que por enquanto ainda não têm nome, e pretende se aventurar pelo teatro. "Estou lendo o texto de uma peça, mas não bati o martelo", avisa. Dirigir um longa-metragem também faz parte dos planos de Pasquim. "Acho muito difícil essa área de direção, mas quero testar. Quem sabe daqui a uns 15 anos eu não esteja finalmente pronto?", diverte-se.

Por enquanto, suas experiências na telona limitam-se a atuar em Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida, de 2004, e "Seus Problemas Acabaram", com a turma do Casseta & Planeta, de 2006. "O cinema é uma das minhas grandes paixões", confessa.

Caras & Bocas - Globo - Segunda a sábado, às 19 h.

Cena marcante
Pasquim admite que é muito crítico em relação a seu trabalho. Segundo ele, durante uma novela inteira, o normal é que goste de apenas quatro cenas. Em "Caras & Bocas", um "take" em especial marcou o ator para sempre. Na sequência, Dênis era desmascarado por Bianca, papel de Isabelle Drummond. No decorrer da gravação, o falso pintor chorava e admitia que o verdadeiro autor das obras de arte que valiam milhões era o macaco Xico. "Nessa hora, Kate me abraçou e beijou a minha lágrima. Ela fez por instinto e isso ficou marcado", lembra.

O ator é só elogios à sua colega de trabalho. Pasquim afirma que nunca foi obrigado a repetir uma cena por causa da macaca. "A gente sabe que ela tem seus dias de estresse, mas isso não atrapalha na hora da gravação", revela.

Normalmente, Kate entra em ação quando há apenas Pasquim em cena. Se outros atores precisam participar, Otávio Reis é chamado. É ele quem se veste de gorila e contracena com as crianças. "Kate é mansa, mas é um animal selvagem. Por isso, tomamos todo esse cuidado", justifica.

Instantâneas# Quando não está gravando, Pasquim gosta de correr de kart ou jogar golfe.

# Atualmente, o ator está lendo o livro Lua Nova, que faz parte da série de sucesso Crepúsculo.

# Tony Ramos é o ídolo do ator. "Além de excelente profissional, ele é um 'gentleman'. Quando eu crescer, quero ser igual a ele", brinca.

# Covarde é a palavra que melhor define Dênis na opinião de seu intérprete. "Ele foi levado pelo filho, que é esperto, e pela mulher, que é uma trambiqueira. E aí, acabou no olho do furacão", explica Pasquim, se referindo ao fato de ele ter assinado as telas do Xico e falsificado grandes obras de arte a mando de Judith, de Deborah Evelyn.

# O elenco de Caras & Bocas vai ter folga no Natal e no Ano Novo. Por conta disso, Pasquim planeja passar o réveillon em Fortaleza, na companhia de amigos.

Marcos Pasquim brinca em fazer campanha para entrar em novela das 20h
Marcos Pasquim brinca em fazer campanha para entrar em novela das 20h
Foto: Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias / TV Press
Fonte: TV Press

compartilhe

publicidade
publicidade