0
TV

Mariana Ximenes se anima com seu primeiro papel de vilã na TV

11 mai 2010
13h48
atualizado em 17/11/2010 às 18h38

Os cabelos louros e cacheados sobre a pele alva e os olhos claros sempre serviram como moldura dos personagens doces e bondosos de Mariana Ximenes na TV. Mas, agora, saem de cena as mocinhas angelicais para a atriz finalmente viver sua primeira vilã. As feições de boa moça da atriz, que estreou na TV como a recatada Emília em Fascinação, no SBT, há 12 anos, caem como uma luva na composição da dissimulada enfermeira Clara. A personagem se passa de santa para convencer as pessoas de suas infinitas armações com o amante e comparsa Fred, de Reynaldo Gianecchini.

Na história de Silvio de Abreu, a personagem dessa paulistana de 29 anos mora no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo. É neste cenário poluído e quase underground que a vulgaridade da personagem se camufla, entre seu trabalho como enfermeira na casa de Bete, personagem de Fernanda Montenegro, e seus golpes com o inescrupuloso Fred. "Ela tem uma porção piriguete. Não vale o que come. Por isso mesmo é um tesão para qualquer atriz", animou-se Mariana.

Depois de 12 anos de carreira vivendo apenas mocinhas na TV, você vive sua primeira vilã com a Clara. Por que tanto tempo até emplacar uma malvada?
Não tem hora para viver uma personagem, não dá para planejar muito as coisas. Minha prioridade é sempre fazer personagens diferentes, que me instiguem muito. Que bom que estava podendo aceitá-la nesse momento da minha carreira, sem outros projetos paralelos. Mas o Silvio escreveu uma personagem que, antes de ser má, é multifacetada. Isso é um tesão!

De que forma você define a vilania desse papel? Como ela interfere na história?
Ainda está cedo para dizer porque está no começo da novela. Sei que ela é uma vilã de várias facetas. Ela trabalha como auxiliar de enfermagem na casa da personagem da Fernanda Montenegro. É um deleite para qualquer ator uma personagem assim porque ela são vários papéis num só. Tem um despojamento interessante.

Em que referências você buscou inspiração para essa composição?
Assisti a todos os filmes da Bette Davis e da Brigitte Bardot. Me identifiquei muito com A Malvada (de Joseph L. Mankiewicz). Também baixei muitos filmes em inglês. É difícil reunir esse material antigo. Mas a Clara tem essa mistura da maldade com a sensualidade. Também lembro das nossas vilãs inesquecíveis: a Renata Sorrah como a Nazaré, em Senhora do Destino, a Glória Pires como a Maria de Fátima, em Vale Tudo, a Patrícia Pillar que estava do meu ladinho fazendo a Flora, em A Favorita e a Cláudia Abreu como a Laura, em Celebridade. A nossa dramaturgia tem muitas vilãs especiais que são referências.

Que tipo de maldades ela comete na história?
Não sei se a Clara vai ser tão má quanto elas. Ainda não sei o que ela vai aprontar. Assisti a essas grandes atrizes com atenção. Mas o Silvio de Abreu conduz a trama de uma forma que você acaba embarcando justamente na forma com que ele escreve, nas palavras dele, na história dele. É um deleite. Estamos com uma grande frente de capítulos escritos e já dá para ter um embasamento dela.

Você passou mais de um mês gravando na Itália para a trama. Como foi esse início de trabalho?
Foram 40 dias de muito frio, muito vento, a temperatura estava bem baixa. Mas a Itália nos presenteou com paisagens escandalosas. Já tinha ido para a Toscana, onde gravamos. Conheci outros lugares lindos e é tão revigorante rever o quanto a Itália inteira é carregada de história, com aquela energia especial. Aquilo tudo é o berço da civilização. Não tem como você não ficar maravilhado. Fui também para Assis, que é a cidade de São Francisco e foi muito especial para entender a história que vamos contar.

É na Europa que começam as armações da personagem com o Totó, interpretado pelo Tony Ramos. Sua personagem se casa no início da trama com ele após combinar um plano com o comparsa Fred, do Reynaldo Gianecchini. De que forma isso acontece?
Ela é uma vigarista mesmo. Não se sensibiliza com ninguém. O único afeto dela é a irmã Kelly ( interpretada por Carol Macedo). Mas o casamento não passa de um plano dela com o Fred para meter a mão na grana do Totó antes mesmo dele ser identificado como filho da milionária Bete (de Fernanda Montenegro), que vive no Brasil. Mas ela seduz o Totó com a verdade dela. Ela vai sentindo como ele é e o cativa da forma que ele gostaria, pelo caminho dele. Os italianos são um pouco mais ingênuos. Ela olha no olho, não parece ser dissimulada e acredita no que está fazendo. Só sei que resolve! Ela o convence. Mesmo assim, ela não se arrepende de casar por interesse. Vamos ver no que vai dar porque em novela não dá para ter certeza de nada. Não sei o que o Silvio está preparando. Só sei que estou fazendo com verdade! Mas o melhor tem sido realizar um dos meus sonhos como atriz.

Qual?
Contracenar com o Tony Ramos e a Fernanda Montenegro. Ele é um ator extremamente generoso, estupendo também como pessoa. Tive a oportunidade de conviver com ele e com a Lidiane, mulher dele, na Itália. Foi muito bom ter conhecido esse casal nesse momento da minha vida. Ele é um grande parceiro em cena. Chega a ser difícil dar adjetivos para o Tony. Isso sem falar na Fernanda Montenegro, que é espetacular. Nem acredito que estou realizando esses dois convívios. Com o Gianecchini também tem sido especial. Ele é um superparceiro, querido, grande profissional. Tudo é muito ensaiado entre nós antes das cenas, batemos o texto o tempo todo. Eles vão ser como fogo e gasolina.

Você e o Gianecchini protagonizam cenas ousadas e sensuais. Como tem sido?
Ela e o Fred são quentes mesmo... Mas está tranquilo, as cenas são meio coreografadas e o Giane é um parceiro muito profissional. O clima é gostoso, divertido, é trabalho!

Grande parte de suas personagens, mesmo as mais densas e fortes, como a Raíssa, de América, ou a Lara, de A Favorita, eram doces e meigas. Essa forma de seduzir o público, mesmo em papéis maluquinhos ou agora, como vilã, é intencional?
Faço o meu trabalho como sempre fiz, com muito tesão. Vim para o Rio muito novinha, com 17 anos, e aprendi rápido a ter traquejo com a vida. Isso se reflete no meu trabalho, na força e na garra com que decifro meus personagens. Me entrego sempre até o final, mergulho muito de cabeça em todos eles e tento não deixar brechas para falhas. Talvez isso seja uma forma de seduzir pela minha doação. Muitas atrizes dizem que, com vilãs, elas até sofrem fisicamente. Com a Clara, pelo menos até agora, só tenho me divertido muito. Tenho colocado tudo para fora (risos).

Metade dos seus personagens na TV foram em tramas de época. Além da identificação que você tem com essas produções, esse equilíbrio foi uma escolha sua?
Adoro fazer tramas de época. Apesar de parecerem papéis mais frágeis e dóceis, muitos são fortes, como a Ana Francisca, de Chocolate com Pimenta. Ela virou o jogo e se transformou numa mulher poderosa. Ou a Rosário, de A Casa das Sete Mulheres. Tenho um carinho diferente por essas personagens, que foram duas grandes paixões. O que mais me seduz, na verdade, não é só o trabalho ser de época ou a personagem ser instigante. Me fascina poder pegar personagens que me tiram do sério.

Disciplina saudável
Parte do figurino de Mariana Ximenes em Passione exige que a atriz esteja muito em forma. Além do uniforme de enfermeira de sua personagem, Mariana também vai desfilar com roupas bem sensuais de acordo com a intenção da maquiavélica vilã. Por isso, a atriz assegura que intensificou os exercícios antes do início das gravações. Para manter seus 49 kg distribuídos em 1,63 m de altura, Mariana não se descuida. Pratica musculação e exercícios aeróbicos pelo menos quatro vezes por semana. "Os exercícios não só me mantém em forma, mas me dão condicionamento físico para aguentar esse rojão das gravações. E, quando preciso de energia para continuar, não dispenso um longo mergulho no mar", ressaltou.

Mas, além dos exercícios regulares, Mariana também tem se aventurado em aulas de surfe. Para conseguir energia para o treino físico e o puxado horário de trabalho, a atriz também investe em uma alimentação balanceada. Em suas refeições não faltam alimentos integrais, sucos, frutas e muita água de coco. "Já segui muita dieta com nutricionista. Hoje em dia sou saudável e me viro sozinha variando a alimentação. Ninguém aguenta dieta o tempo todo", argumentou.

Projeto lúdico
Depois de já ter trabalhado com diversos diretores na TV, Mariana Ximenes assume que sempre pensou em fazer algum trabalho com Luiz Fernando Carvalho. Admiradora assumida da obra deste diretor carioca, a atriz planeja um dia fazer uma produção com Luiz na TV. "Ele sempre traz histórias lindas e com uma forma de contar com tanta poesia e profundidade que me fascina", elogiou.

Trajetória Televisiva
# Fascinação (SBT, 1998) - Emília.
# Andando nas Nuvens (Globo, 1999) - Celi Montana.
# Força de Um Desejo (Globo, 1999) - Ângela.
# Uga Uga (Globo, 2000) - Bionda.
# A Padroeira (Globo, 2001) - Izabel de Avelar.
# A Casa das Sete Mulheres (Globo, 2003) - Rosário.
# Chocolate com Pimenta (Globo, 2003) - Ana Francisca.
# América (Globo, 2005) - Raíssa.
# JK (Globo, 2006) - Lilian Gonzalez.
# Cobras & Lagartos (Globo, 2006) - Bel.
# A Favorita (Globo, 2008) - Lara.
# Passione (Globo, 2010) - Clara.

Em 'Passione', Mariana Ximenes viverá uma enfermeira que trama para cima de todos com seu comparsa Fred, de Reynaldo Gianecchini
Em 'Passione', Mariana Ximenes viverá uma enfermeira que trama para cima de todos com seu comparsa Fred, de Reynaldo Gianecchini
Foto: Luiza Dantas/Carta Z Notícias / TV Press
Fonte: TV Press

compartilhe

publicidade
publicidade