1 evento ao vivo
TV

Mesmo sem inovação, 'Café com Jornal' faz boa estreia

5 mai 2014
11h26
  • separator
  • comentários

Um jornalístico que se pretende informal não pode abrir mão da opinião. É o que faltou na edição de estreia do Café do Jornal, da Band, nesta segunda (5). Exibido das 6h às 9h, ao vivo, o programa tem receita conhecida e um tanto desgastada: muitas notícias policiais, cobertura do trânsito, previsão da meteorologia e destaques esportivos. 

Os apresentadores Luiz Megale e Aline Midlej
Os apresentadores Luiz Megale e Aline Midlej
Foto: Divulgação

Recorre-se ao velho recurso de repetir várias vezes os destaques do dia ao longo do programa - especialmente as manchetes sobre violência urbana, ao estilo Brasil Urgente do Datena. Falta agilidade para mostrar notícias em tempo real. A impressão é de que o telejornal segue um roteiro rígido, com pouco espaço para o que acontece durante a sua exibição.

Os apresentadores Luiz Megale e Aline Midlej se mostraram à vontade na bancada. Porém, não se arriscaram a emitir opiniões contundentes. Em alguns momentos se atropelaram ao comentar as notícias e lançar perguntas aos colunistas. Nada que não se corrija com o tempo. Os dois são eficientes no improviso e até na inserção de humor discreto ao noticiário.

Entre os colunistas, o destaque ficou com o clínico geral Arnaldo Lichtenstein. Para alertar sobre a importância da prevenção à dengue, ele utilizou bonecos engraçados - representando um mosquito comum, quase inofensivo, e o Aedes aegypti, transmissor da doença - em um recurso visual amplamente usado pelo Bem-Estar, da Globo.

A musa do esporte Paloma Tocci mostrou as jogadas do futebol na rodada do fim de semana. O carismático jornalista Mauro Soares, especialista em entretenimento e cultura pop, comentou o sucesso na internet de George, o bebê real da Inglaterra, e sobre celebridades como Gisele Bündchen e Claudia Leitte. Junto com os apresentadores, ele discutiu se o ator americano James Franco seria ou não gay. Foi o momento TV Fama do Café com Jornal.

Em um outro bom momento do programa, Luiz Megale arregaçou as mangas, literalmente, e foi às ruas no quadro Não me engana que eu não gosto. O apresentador opôs a fala do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que nega a possibilidade de racionamento de água na capital, com a realidade de moradores que sofrem com torneiras vazias em várias regiões da cidade.

O Isso Funciona é uma versão antagônica do Tudo Anormal, do Bom Dia São Paulo, da Globo. O quadro dará espaço ao que a cidade tem de melhor. Na estreia destacou uma linha de ônibus exemplar da capital paulista. O coletivo faz o trajeto Itaquera-Parque Dom Pedro em "apenas" 50 minutos e oferece wi-fi aos passageiros. Deu até vontade de dar uma voltinha no busão.

O apresentador do Jornal da Band, Ricardo Boechat, participou diretamente do estúdio da Band News FM, do qual comanda uma atração diária. Foi inusitado vê-lo de camiseta e gargalhando das piadas contadas ao telefone por Zé Simão. Ambos ironizaram da morte da vidente Mãe Dináh ao avião desaparecido da Malaysia Airlines. Ligeira dose de humor politicamente incorreto para amenizar o desânimo de uma manhã de segunda-feira.

A primeira edição do Café com Jornal teve algumas falhas técnicas, como matéria que não entrou ao ser anunciada e mostrar a imagem de um apresentador quando era o outro que lia as notícias. Erros normais de uma atração feita ao vivo e ainda mais compreensíveis em uma estreia, quando os nervos da equipe ficam à flor da pele.

A gafe mais divertida do jornalístico foi quando Megale fez merchandising involuntário de um famoso fortificante e antianêmico. Ao chamar uma matéria sobre um implante auditivo, ele disse "ouvido biotônico" ao invés de ouvido biônico. 

Mesmo sem apresentar nenhuma inovação, o Café com Jornal é uma boa opção para quem acorda cedo e procura informação sem a formalidade de um telejornal convencional. Luiz Megale, Aline Midlej e seus colunistas são uma companhia agradável para começar o dia.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade