TV

publicidade
16 de janeiro de 2013 • 09h36 • atualizado em 01 de Dezembro de 2013 às 17h17

Morre o humorista Clayton Silva, da 'A Praça é Nossa'

Na foto, Clayton Silva contracena com Carlos Alberto de Nóbrega
Foto: SBT / Divulgação

Morreu, aos 74 anos, o ator Clayton Silva, por volta das 16h nessa terça-feira (15), em Campinas (SP). O humorista estava internado no Centro Médico do distrito de Barão Geraldo desde o dia 27 de dezembro de 2012 e lutava contra um câncer há três, de acordo com seu filho, que também se chama Clayton Silva.

O velório é realizado no Cemitério Memorial de Indaiatuba, município próximo de Campinas, até as 13h. De lá, o corpo do humorista será levado para o cemitério da Vila Alpina, em São Paulo, onde será cremado. 

Em entrevista ao Terra, o filho de Clayton, que tem o mesmo nome que o pai, comentou a perda. "Preparado (para a perda) não tem como, mas a gente se preparou ao longo da convivência, no meu caso, de quase cinquenta anos. A gente tem que aproveitar a vida e ele aproveitou muito bem", disse. "Eu, como filho, não poderia dizer outra coisa além de que era meu herói. Ele era amigo, justo, leal, íntegro. Isso era Clayton Silva", acrescentou.

Clayton ficou marcado com os bordões "Tô de Olho no Sinhô" e "Êta Fuminho Bão", no programa A Praça É Nossa. Ele fazia parte do elenco da atração desde sua estreia, em 1987. Na década de 70, Clayton participou de quadros no programa Os Trapalhões. Neste período atuou bastante no cinema nacional em longas como Pecado Horizontal, Na Violência do Sexo e O Bem Dotado - O Homem de Itu. 

O humorista, que nasceu em 6 de fevereiro de 1938, deixa a mulher, Isis, três filhos - Clayton, Andréa e Érica - e quatro netos.

 

Terra