TV

publicidade
24 de maio de 2010 • 17h43 • atualizado em 25 de Maio de 2010 às 18h37

Não se desespere: entenda o final de 'Lost'

Dr. Jack Sheppard no último episódio de 'Lost'
Foto: Reprodução
 

Não é preciso ser um expert em Lost e ter assistido todas as temporadas para entender o seu final, exibido na noite deste domingo (23) nos Estados Unidos - e para outros 50 países simultaneamente. Numa saída fácil, os produtores preferiram seguir a tese dos fãs. Nem por isso utilizaram o caminho mais óbvio: colocaram tais ideias numa espécie de inversão.

Para compreender os dois episódios finais, basta esquecer tudo o que aconteceu na série que não tenha relação direta com os personagens principais. Esqueça a iniciativa Dharma, a bomba, os números. Foque-se na tal luz protegida por Jacob e no acidente do vôo Oceanic 815.

O que é a ilha?
Existirão várias teorias sobre o que é a ilha e qual a importância dela. Digamos, com base na referência de diversos episódios da última temporada, que a ilha é um centro de comando. O coração do planeta - ou mesmo do universo. Se o mundo fosse o Windows, a ilha seria seu Painel de Controle. É ela quem determina o equilíbrio do planeta. "A luz que emana dentro da caverna brilha no coração de cada pessoa", disse a "mãe" de Jacob em um dos últimos episódios da sexta temporada.

É isso mesmo. Essa luz precisava de um protetor, que cuidasse para que ela nunca fosse apagada. Jacob assumiu esse papel após a morte de sua mãe e posteriormente Jack. Mas qualquer um dos sobreviventes do vôo Oceanic 815 poderia ser um deles. Foi obra do destino que eles aparecessem lá. Jacob estava escolhendo seus "substitutos". Jack era o predestinado. Com sua morte, Hurley acabou tomando o posto e, em seguida, Ben. Como toda história de cria e criador, a ilha guarda enigmas que nenhum humano é capaz de desvendar. Talvez por isso que o tempo é relativo dentro dela. Estamos diante de um local sagrado, onde não há as regras estabelecidas pelo nosso mundo.

E a tal fumaça negra?
Nós vimos em Lost que a fumaça negra, era na verdade o homem de preto, atirado na caverna da "luz" quando estava dominado pela raiva. Quando entrou ali dentro, sua alma transformou-se no tal "monstro". Seu corpo, apenas matéria, foi deixado em outro lugar da ilha. Na verdade, estamos diante de uma história quase bíblica, onde Jacob é Deus e a fumaça negra, o diabo. É basicamente uma metáfora para o Bem e o Mal.

A fumaça representa tudo aquilo que há de ruim dentro das pessoas: ódio, rancor, mágoa. Seu objetivo é sair de lá, mas Jacob não o deixa. Por isso, ele assume a aparência de Locke. Se ele não consegue sair da ilha, caberá a ele destruí-la. Essa é a única intenção do "monstro", que não está para brincadeira. Como novo protetor da ilha, Jack precisava matá-lo. Mas a fumaça queria apagar a tal luz e coloca em ação seus planos de destruição. É só lembrar dos desenhos animados que assistíamos quando éramos crianças. Sempre tinha um vilão superpoderoso que queria destruir o planeta. É bem por aí...

Purgatório, hein?
Essa é a parte mais simples de tudo. "Todo mundo morre um dia", diz o pai de Jack, no reencontro dos dois na igreja. E foi exatamente o que aconteceu. Todos os que passaram pela ilha morreram, um dia. Acompanhamos a morte de alguns, como Boone, Shannon e Jack, no último episódio.

Aparentemente, Kate, Sawyer, Miles, Richard e Frank conseguiram fugir de lá e morreram fora dela, talvez velhos. Mas todo mundo morreu. A ilha realmente existiu! Isso é comprovado no diálogo entre Christian e Jack. "A parte mais importante de sua vida foi quando você esteve ao lado deles", disse.

A tal realidade paralela, fora da ilha, era na verdade o purgatório. No catolicismo, o purgatório é o lugar onde as almas "perdidas" buscam seu estado de graça, para finalmente ir aos céus. Em algumas religiões, as almas perdidas no purgatório nunca sabem que estão mortas. Elas continuam suas vidas, até que descubram as respostas para suas existências. Em Lost, não foi diferente.

Todos os personagens que ali viviam estavam mortos, mas não sabiam disso e não tinham memória dos acontecimentos da ilha. Eles precisavam se reencontrar e lembrar do elo que os conectava para finalmente encontrar a paz. No final, quando Desmond - que já tinha conseguido entender qual era sua redenção - reúne todos os conhecidos da ilha, finalmente eles conseguem se lembrar de tudo o que aconteceu. E assim os personagens de Lost finalmente puderam descansar em paz.

O Terra exibe neta terça-feira (25), logo após a TV fechada, o último episódio de Lost. O capítulo final da série ficará disponível por sete dias, on demand, no Terra TV. A previsão é que mais de um milhão de expectadores assistam ao episódio durante o período. O Terra é o único portal no país que disponibiliza, gratuitamente, todas as temporadas completas de Lost.

Redação Terra