Cheias de Charme

publicidade
09 de junho de 2012 • 08h49

Atriz de 'Cheias de Charme' sobre cantar: "descobri um novo lado"

Isabelle Drummond comemora papel de protagonista e seu desempenho nas aulas de canto
Foto: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias / TV Press

Márcio Maio

Ganhar uma protagonista de novela até fazia parte dos sonhos de Isabelle Drummond. Mas a intérprete da sofrida Maria Aparecida de Cheias de Charme garante que não trata o trabalho na novela de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira de maneira diferente que os outros que já conquistou na TV. Na verdade, mais do que o destaque da personagem, o que Isabelle valoriza e torna essa fase atual especial é ter feito aulas de canto e, principalmente, poder cantar em cena. "Sempre gostei de cantar no chuveiro, mas agora precisei me dedicar a isso. E acho que descobri um pouco esse lado novo em mim. É claro que fiquei assustada quando começou, é estranho ouvir a própria voz. Mas estou curtindo", diz.

Na trama, Cida era a filha da arrumadeira da casa da família Sarmento, encabeçada pelo advogado interesseiro Ernani, de Tato Gabus Mendes, e sua esposa "perua" Sônia, de Alexandra Richter. E, com a morte da mãe, acabou herdando a função, trabalhando de graça na casa deles e se iludindo com a ideia de que ocupava o lugar de uma espécie de filha de criação do casal. Mas, depois de se decepcionar ao constatar a realidade e se juntar às "empreguetes" Rosário e Penha, de Leandra Leal e Taís Araújo, um vídeo das três cai na internet e elas se transformam em sucesso como grupo musical. O que brigou as atrizes não só a preparar a voz, mas também as coreografias para shows e clipes. "Nas horas vagas de gravação, treinamos bastante. Fizemos alguns clipes antes da novela estrear para uso da equipe mesmo e, assim, ficamos prontas para essa virada das meninas antes que ela acontecesse no ar", explica a atriz.

Com voz suave mas um discurso firme, Isabelle não esconde que acredita que sua primeira protagonista em novelas veio cedo. Mas não rápido, em função da experiência que acumulou com tão pouca idade. Afinal, ela completou 18 anos em abril, quatro dias antes de a novela estrear. "Nunca parei minha vida ou fiquei pensando fixamente nisso como uma meta a ser alcançada. Trabalho há 10 anos e construí um caminho interessante que me levou onde estou", valoriza.

Para interpretar uma arrumadeira, Isabelle não chegou a fazer um laboratório. Mas conversou com a própria empregada para pegar algumas dicas. "Perguntei muitas coisas e ela ficou bem orgulhosa por ver uma novela representando a classe de mulheres que trabalham em casas de família", conta. Isabelle confessa que até se surpreende quando vê, nas cenas da novela, sua desenvoltura com certas tarefas domésticas. "Em casa, eu lavo uma louça e dou uma varridinha. Mas não mais do que isso", entrega.

De boneca de pano à treva
A vida de Isabelle Drummond começou a mudar radicalmente quando ela ainda tinha 7 anos e conquistou a vaga de boneca Emília no Sítio do Picapau Amarelo, em 2001. Foi ali que ela começou a decorar seus primeiros textos e, com a rotina, entender que queria levar adiante a profissão que lhe servia de brincadeira inocente até então. "Eu era muito nova e não ficava pensando no que aconteceria dali para frente. Mas sempre gostei do que eu fazia e tinha muito respeito e carinho por essa profissão", lembra.

O início da carreira precoce garantiu um amadurecimento rápido. Antes do Sítio do Picapau Amarelo, já tinha participado de Os Maias e Laços de Família. Depois do seriado infantil, ganhou seu primeiro papel de destaque em novelas como a doce Gina de Eterna MagiaM. E conquistou respeito de vários colegas ao dividir cenas no cinema, em Se Eu Fosse Você 2, com Tony Ramos e Glória Pires. Não demorou para que Walcyr Carrasco pensasse nela para viver a espevitada Bianca de Caras & Bocas, que se tornou popular com o bordão "é a treva". "A personagem era muito boa, filha dos protagonistas. Eu sabia que seria um papel que me faria ganhar mais visibilidade", recorda Isabelle, que também integrou o elenco de Cordel Encantado no ano passado.

Instantâneas
- Isabelle protagonizou o especial da Globo em comemoração aos 40 anos da emissora, A História de Rosa.
- Durante o período em que interpretou a boneca Emília no Sítio do Picapau Amarelo, Isabelle chegou a ser convidada para participar das novelas da Globo. Mas a direção artística da emissora nunca liberou a menina.
- O primeiro filme que contou com a participação da atriz foi Xuxa Popstar, em 2000.

TV Press