Flor Do Caribe

publicidade
11 de março de 2013 • 15h03 • atualizado em 14 de Março de 2013 às 16h10

Com ares de aventura, 'Flor do Caribe' estreia nesta segunda

 

Flor do Caribe, a nova novela das seis da Globo - que estreia nesta segunda-feira (11) -, apresenta algumas das características prediletas de Walther Negrão para uma trama: lindos cenários, com praias e dunas, e gente muito bonita. Bem ao estilo de outros trabalhos do autor, como Tropicaliente, de 1994, e Como uma Onda, de 2004. Depois de Lado a Lado, uma trama carregada de contexto histórico e temas engajados, como o racismo e emancipação feminina, o horário das 18 horas agora conta com uma história com ares de aventura.

"Tudo é muito bonito, romântico, colorido, suave e, ao mesmo tempo, tem uma história forte", conta Jayme Monjardim, diretor de núcleo da produção. As semelhanças com trabalhos anteriores não devem ser ignoradas, segundo o próprio autor. A beleza que será mostrada foi um dos motivos da criação de Flor do Caribe. "Dessa vez, o ponto de partida não foi a trama em si, mas a ideia de fazer uma novela solar, com apelo de belas paisagens, especialmente praias do Nordeste", explica Negrão.

Flor do Caribe investiu alto na beleza. Além de um elenco recheado de galãs e beldades, os cenários da trama são exuberantes. Com gravações no Rio Grande do Norte e na Guatemala, um punhado de famosos paraísos potiguares serão exibidos, como a Praia da Pipa, na cidade de Tibau do Sul; Genipabu, em Extremoz; e as Dunas do Rosado, que ficam em Areia Branca e Porto do Mangue.

Diferentemente dos já conhecidos pontos turísticos nordestinos, que confirmaram sua beleza, as locações na América Central surpreenderam a direção da novela. "Tínhamos de escolher um país do Caribe para gravar. Eu pesquisei muito a América Central até chegar à Guatemala e percebi que ela reunia os lugares mais incríveis que eu já tinha visto. É um país muito bonito, com um clima e cores maravilhosas", acredita Jayme Monjardim.

Além das paisagens naturais, Flor do Caribe terá duas grandes cidades cenográficas. Uma delas na própria Globo e a outra na Restinga da Marambaia, no Rio de Janeiro, que abrigará a vila dos pescadores e a cabana onde o casal protagonista se encontra. O ambiente da fictícia Vila dos Ventos, que centraliza a trama da novela, foi construído com a intenção de ressaltar o que é natural e característico do Rio Grande do Norte. "Nossa pesquisa foi ir atrás de pessoas que vivem na região para elas contarem o que há de mais típico, como seguram cada coisa...", conta Lara Tausz, produtora de arte.

A novela vai contar a história do romance entre Cassiano e Ester, casal interpretado por Henri Castelli e Grazi Massafera. De origem humilde, os dois se apaixonam quando jovens e têm planejado o resto de uma vida juntos. Mas um grande imprevisto acontece. Alberto (Igor Rickli), um homem muito rico e apaixonado por Ester, passa por cima da amizade que tem com Cassiano para conquistar a moça. Ele chega a bolar um plano para se livrar do concorrente.

Alberto pede ao amigo de longa data, que é piloto da Aeronáutica, que entregue um carregamento de diamantes no Caribe. Tudo armado. O mocinho flagrado termina fugitivo e, depois de longo tempo desaparecido, é dado como morto pela maioria das pessoas com que tinha convívio. "É uma novela que fala sobre amor e conflito. Uma trama onde o casal se perde e demora a se encontrar", descreve Walther Negrão.

Em Flor do Caribe, Walther e Jayme embarcam no terceiro trabalho juntos. Em Direito de Amar, de 1987, Monjardim era um dos diretores cinegrafistas. Já em A Casa das Sete Mulheres, de 2003, ele era diretor de núcleo, como agora. "Já é uma parceira antiga e temos muito carinho um pelo outro", revela Jayme. A qualidade do que vai ser exibido é a grande preocupação do autor e, nisso, o perfeccionismo do diretor é providencial. "Ele é um entusiasta, uma pessoa ótima para trabalhar. Além disso, tem um apreço pela estética e pela fotografia, tudo tem de ficar perfeito", conta Negrão.

Preparação diferente
Em Flor do Caribe, muitos personagens têm atividades incomuns. Candinho (José Loreto), por exemplo, caminha grandes distâncias nas dunas nordestinas sob sol forte para protagonizar cenas de diálogos com sua cabra Ariana. Ester e Taís (Débora Nascimento) dirigem um bugre em alta velocidade pelas mesmas dunas. Mas isso não se compara à preparação de Henri Castelli, Dudu Azevedo, Max Fercondini e Thiago Martins, que interpretam pilotos da Aeronáutica e, obviamente, tiveram de voar.

Uma experiência que deixaria qualquer um com o coração acelerado, especialmente quando algum deles tem acrofobia. "Voei mais de uma hora e meia. Foi muito legal, mas foi difícil. Ainda mais para mim, que tenho medo de altura. Só que foi muito importante. Não conseguiria fazer esse personagem se não tivesse voado", admite Thiago, que ressaltou o fato de não ter sido o único a sentir medo. "Todo mundo estava com medo. Eles dizem que não, mas é mentira", provoca, aos risos.

Outro personagem cuja atividade não combina com a realidade de seu intérprete é Juliano (Bruno Gissoni). Interpretando um pescador, o ator precisou aprender a prática na hora da gravação e ficou um pouco incomodado com o resultado. "A parte da rede é um pouco mais complicada, mas fora isso foi tudo certo. O problema é que eu tenho pena do peixinho morrendo, eu tirava o peixe e já queria logo jogar ele de volta para o mar", diverte-se.

QUEM É QUEM

Triângulo principal
Cassiano (Henri Castelli) – Um homem íntegro e de personalidade forte. De origem humilde, mas que, a custa de um grande esforço e perseverança, conseguiu realizar o seu sonho de menino e ingressar na Aeronáutica, onde se torna um dos melhores pilotos. Seu maior objetivo é casar com Ester (Grazi Massafera).

Ester (Grazi Massafera) – Filha da cabocla Lindaura (Ângela Viera) e do judeu holandês Samuel (Juca de Oliveira). Mulher romântica, que chama a atenção pela beleza e pela força de sua personalidade. No início da história, ganha seu sustento conduzindo turistas em passeios de bugre pelas praias do lugar. É loucamente apaixonada desde a adolescência por Cassiano.

Alberto (Igor Rickli) – Rico empresário, culto, atraente, simpático, de sorriso cativante. Um perfeito cavalheiro no trato social, em especial com as mulheres. Toda essa polidez e simpatia, no entanto, são a máscara que esconde a sua verdadeira face: a de um homem frio e inescrupuloso, capaz de cometer as maiores vilanias para conseguir o que quer.

Os aviões e os bugres
Taís (Débora Nascimento) – Irmã de Cassiano. Linda e encantadora, ganhou de Ester um bugre e passa a levar turistas para passeios pelas praias e dunas. Simpática como convém a uma guia turística, sua beleza lhe vale inúmeras cantadas da clientela masculina.

Lindaura (Ângela Vieira) – Mãe de Ester e esposa de Samuel. Com Ester, desenvolveu uma relação de enorme cumplicidade, pois desde que foi mãe ensinou à filha as artes que domina: pesca de lança e saber ouvir o que a natureza diz.

Samuel (Juca de Oliveira) – Pai de Ester, marido de Lindaura. Nascido na Holanda, de família judia, aos cinco anos foi separado dos pais. Interessado desde cedo pela arte de sua família: o design e fabricação de joias.

Rodrigo (Thiago Martins) – É amigo de Cassiano desde que os dois entraram para a Academia da FAB e cultivaram uma leal amizade. Rodrigo é o segundo-homem da esquadrilha, atrás somente de Cassiano, o Ás.

Ciro (Max Fercondini) – Desde garoto era apaixonado por aviões e acabou entrando para Força Aérea. Rapaz rico e um tanto mimado, mas que aprende a duras penas que no quartel não existe vontade própria e sim coletiva.

Amadeu (Dudu Azevedo) – É filho, neto e bisneto de pilotos da Aeronáutica. Sua paixão em voar está no sangue. Amadeu se sente honrado de vestir a farda e pertencer ao pelotão.

Jamile (Carolina Kasting) – Casada com Amin. Mulher triste e quieta. Obedece cegamente ao marido, mesmo sendo praticamente ignorada por ele.

Isabel (Thaíssa Carvalho) – É a melhor piloto da aeronáutica brasileira. Uma das primeiras a ingressar no seleto time de pilotos de caça. Vai ser o objeto de desejo de Ciro e grande paixão de Amadeu.

As minas e as salinas
Dionísio Albuquerque (Sérgio Mamberti) – Avô de Alberto. Quem o vê hoje em dia nem imagina que o simpático e amável velhinho foi, no passado, um implacável tirano.

Quirino (Aílton Graça) – Um "faz tudo" que trabalha também como piloto da lancha de Alberto. É casado com Doralice (Rita Guedes), governanta e cozinheira da casa dos Albuquerque, e pai de Juliano (Bruno Gissoni) e do pequeno William (Renzo Aprouch).

Juliano (Bruno Gissoni) – Filho de Quirino, pescador. Vai se apaixonar pela bióloga Natália (Daniela Escobar), com quem viverá um romance que dará muito o que falar no vilarejo.

Doralice (Rita Guedes) – Misto de cozinheira, copeira e uma espécie de governanta da casa de Dionísio Albuquerque. Casada com Quirino, é mãe adotiva de Juliano e William.

O Caribe
Duque (Jean Pierre Noher) – Um velho estelionatário de atuação internacional. Fala espanhol, francês e arranha vários outros idiomas quando necessário. Seu currículo lhe garante o respeito tanto de bandidos quanto da polícia. Uma espécie de mentor e anjo da guarda de Cassiano. Sua vida pessoal também passará por mudanças radicais, pois seu caminho será cruzado por Amaralina (Sthefany Brito), sua verdadeira neta.

Amaralina (Sthefany Brito) – Extrovertida e independente, está correndo o mundo à procura do avô, único parente que lhe restou, sem suspeitar que ele é Duque, que ela conhece no Caribe. Vai sacudir a vida do introvertido e imaturo Paçoquinha (Rafael Almeida).

Laura Peçanha (Suzana Pires) –  Detetive particular que chega ao vilarejo no encalço de Duque. Atrapalhada e nada perspicaz, é facilmente engambelada pelo próprio Duque, que finge querer ajudá-la na investigação e consegue confundir a agente ainda mais.

A Vila
Donato (Luiz Carlos Vasconcelos) – Mestre-pescador que comanda uma traineira, a bordo da qual ele e outros homens partem diariamente para o trabalho da pesca. Casado com Bibiana (Cyria Coentro) e pai de Hélio (Raphael Viana) e Paçoquinha, duas crianças, Felipe (Pablo Monthé) e Marizé (Lívian Aragão), além de uma agregada que chegará no começo da história, a jovem Amaralina.

Hélio (Raphael Viana) – Rapaz ambicioso, nem cogita ser pescador como pai ou dono de quiosque como a mãe. Em sua busca de ascensão, vai conquistar a confiança de Dionísio Albuquerque e trabalhar como seu braço direito.

Paçoquinha (Rafael Almeida) – Um rapaz introvertido, inseguro e atrapalhado. Vai viver um romance turbulento com Amaralina, uma garota que é o seu oposto.

O Sítio
Veridiana (Laura Cardoso) – Avó de Candinho (José Loreto), Lino (José Henrique Ligabue) e Dadá (Renata Roberta). Neta de cangaceiros, é uma mulher de fibra e vira onça quando se trata de defender suas crias.

Candinho (José Loreto) – Um adulto com alma de criança. Vive em um sítio próximo com a avó Veridiana e os irmãos Lino e Dadá. Anda para cima e para baixo com sua cabra Ariana vendendo leite ordenhado na hora, de porta em porta. Tido como "aluado", vive cercado pelas crianças que adoram ouvir suas histórias cheias de encanto e magia.

A bióloga e o mar
Natália (Daniela Escobar) – Bióloga e pesquisadora na área marinha, Natália é uma profissional respeitada tanto no mundo científico como no acadêmico. Protótipo da "workaholic" focada, evita envolvimentos amorosos. Mas ela será surpreendida ao se descobrir apaixonada por Juliano.

Ludmila (Tainá Muller) – Filha mais nova de Natália. Tenta ser uma garota "relax", mas é controladora, vaidosa, gosta de estar com tudo em ordem, organizado e é extremamente mimada.

Carol (Maria Joana Chiapetta) – Filha mais velha de Natália. É suave, divertida e descolada.

TV Press