0

"Dramas muito longos, basta os da vida", diz Daniela Escobar sobre novelas

22 ago 2013
12h10
atualizado às 12h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Daniela Escobar vive a personagem Natália em Flor do Caribe
Daniela Escobar vive a personagem Natália em Flor do Caribe
Foto: Carta Z Notícias/Luiza Dantas / TV Press

Apesar de nunca ter sido protagonista em nenhum dos folhetins que participou, Daniela Escobar tem feito papéis marcantes nas suas últimas atuações em novelas. Além de importantes nas tramas, as personagens mais recentes tinham uma característica em comum: eram "mãezonas". Seja na pele da perua Irene, de América, na meiga Suzana, de A Vida da Gente, e, agora como a apaixonada Natália, de Flor do Caribe, a atriz emprestou um de seus lados mais evidentes às suas personagens.

"Com certeza é mais fácil interpretar um tipo desse, de uma mãe amiga. É como eu sou. Estou na minha zona de conforto", admite. Na trama de Walther Negrão, Natália tem duas filhas jovens, interpretadas por Tainá Müller e Maria Joana, com quem divide a casa, as certezas e as inseguranças.

A trama principal de Natália, no entanto, foi por um caminho até então desconhecido da atriz. Acostumada a interpretar tipos mais tradicionais, Daniela se surpreendeu ao ter de dar vida a uma mulher separada que se apaixona por um rapaz muito mais novo. O romance com Juliano, interpretado por Bruno Gissoni, para alívio da atriz, foi bem recebido pelo público.

"Acho que a repercussão esteja sendo boa pela quantidade de pessoas que se identificaram com a história", palpita. Daniela ainda acredita que a torcida para a felicidade do casal tenha sido fruto da história criada por Negrão. "As pessoas precisam e preferem leveza, amor e romance em seus horários de lazer. Dramas muito longos, basta os da vida", avalia. "O que o público quer ver são as relações dando mais certo do que errado", analisa, apontando que, em uma trama focada nas relações de amor, a de sua personagem é a única que vem dando certo.

O convite para atuar em Flor do Caribe surgiu logo depois de Daniela terminar sua participação em A Vida da Gente, de 2011. "O Walther está me recompensando. Vinte anos depois, mas está", diz, aos risos. O motivo da brincadeira é ter começado a sua carreira justamente em uma novela do autor, em Tropicaliente, de 1994. "Lá, eu tinha uma frase dividida ao meio. Então, desde essa época, eu tinha vontade de trabalhar com ele de novo", entrega, elogiando, ainda, o lirismo e o lado lúdico da atual trama das seis. "Excesso de realidade em novela não me agrada. Os jornais já estão muito pesados. Eu quero sonhar quando vejo um folhetim", filosofa.

Para se preparar para dar vida a Natália, a atriz teve de passar por algumas mudanças em seu visual. Gaúcha que passou os últimos anos vivendo nos Estados Unidos, Daniela voltou a frequentar a praia assim que soube que Natália seria uma bióloga. "Peguei muito sol para adotar esse clima de praia. Além disso, também tive de clarear um pouco os cabelos", revela.

A vontade de ser atriz sempre foi marcante na vida de Daniela. No entanto, seu lado mais "certinho" a levou à faculdade. "Acredito muito na importância de ter um diploma", valoriza. Antes de trocar as cadeiras da PUC do Rio Grande do Sul pelas aulas de interpretação, a atriz se formou em Publicidade e Propaganda. "Desanimei quando percebi que estava estudando para enganar o consumidor. Qualquer produto é o melhor do mundo se você tem um bom publicitário", afirma. "Quando enxerguei essa dura realidade, pensei: enganar por enganar, vou enganar as pessoas divertindo-as", conta, sorrindo.               

Daniela Escobar vive a personagem Natália em Flor do Caribe
Daniela Escobar vive a personagem Natália em Flor do Caribe
Foto: Carta Z Notícias/Luiza Dantas / TV Press

Outros tons

Conhecida do grande público nas novelas, o trabalho de Daniela não se limita aos folhetins. No início dos anos 2000, a atriz foi convidada para apresentar o Superbonita, do canal pago GNT. Mesmo sem ter nenhuma experiência na área, aceitou de cara. "Quando eu olhei o texto no 'teleprompter' e vi que não precisaria mais decorar minhas falas, foi amor à primeira vista", brinca. Após seis anos à frente do programa, Daniela decidiu que era a hora de parar e se lançar por outros rumos. "Estava sentindo falta de estudar. E resolvi ir para os Estados Unidos fazer faculdade de Cinema", conta.

A experiência fora do Brasil, na UCLA – Universidade da Califórnia, em Los Angeles –, fez com que a atriz abrisse seus horizontes. Depois de atuar e apresentar, Daniela quer tornar seu trabalho mais autoral. "Tenho três roteiros prontos para cinema", entrega. Enquanto não emplaca seus textos, ela continua trabalhando como atriz. Paralelamente às gravações de Flor do Caribe, Daniela está rodando um longa em Brasília, com nome provisório de Perpetua. "Ainda está bem no início da fase de produção. Não sei muito da minha personagem. Mas, pelo que vi, a história é bem bonita", finaliza.     

Instantâneas

# Em Flor do Caribe, Daniela é dirigida pela 7ª vez por seu ex-marido, Jayme Monjardim. "Fica mais fácil para mim, devo confessar. E quando eu sei que o trabalho é com ele, tenho certeza da qualidade do produto", elogia.

# Há quase sete anos, a atriz gaúcha divide-se entre suas casas no Rio de Janeiro e em Los Angeles, nos Estados Unidos.

# Apesar de apresentar o Superbonita por seis anos, a atriz garante que não é vaidosa. "Só comecei a usar cremes e protetor solar depois dos 40 anos", assume, entre risos.

# Para se preparar para viver um relacionamento com uma grande diferença de idade em Flor do Caribe, a atriz confessa ter feito uma "pesquisa de campo" com amigas que passaram pela mesma situação.

Veja também:

Parque de ferromodelismo é inaugurado sob pista de esqui na Alemanha
Fonte: TV Press
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade