0
TV

Paulo Nigro enfrenta desafio com 'A história de Ester'

30 mar 2010
17h57
Arcângela Mota
Direto do Rio

Paulo Nigro não esconde o encantamento por Aridai, seu personagem em A História de Ester, da Record. E, mesmo com duas grandes minisséries de época no currículo - Amazônia, de Galvez a Chico Mendes e JK, ambas da Globo -, o ator paulistano de 26 anos é enfático ao afirmar que o nobre guerreiro do Império Persa é o personagem mais intenso que já interpretou. Na minissérie bíblica, Aridai é um amalequita ¿ povo historicamente inimigo dos judeus ¿ que se apaixona e engravida a judia Ana, de Letícia Colin. Filho do vilão Hamã, de Paulo Gorgulho, ele é o único da família que é contra o extermínio dos judeus planejado pelo pai, que é conselheiro do rei. "O Aridai representa uma grande prova na minha carreira. Já fiz muitos trabalhos densos e complicados, mas a carga dramática dele é enorme. Cada cena é muito importante", avaliou.

Após quatro anos de contrato assinado com a Record, Paulo faz seu primeiro trabalho na emissora fora da trilogia Caminhos do Coração, na qual interpretou o mutante Tony Mayer de 2007 a 2009. Mas, mesmo com o currículo diversificado construído ao longo de 14 anos de tevê, o ator ainda é lembrado pelo Júlio, personagem que interpretou em Chiquititas, no SBT, em 1997. "Fiz vários trabalhos importantes, mas as pessoas ainda hoje me reconhecem pelo Júlio. Foi um importante degrau na minha carreira", reconheceu.

Nome: Paulo de Jesus Nigro Júnior.
Nascimento: 11 de janeiro de 1984, em São Paulo.
Primeiro trabalho na TV: Fiz parte do elenco de apoio da novela Colégio Brasil, em 1996, no SBT.
Atuação inesquecível: Todos são muito importantes para mim: Chiquititas foi meu grande trabalho na TV, Malhação foi uma diversão, Amazônia foi sensacional e A História de Ester é emocionante".
Ao que gosta de assistir: Programas de automobilismo, shows e filmes.
Ao que nunca assiste: Programas sensacionalistas.
O que falta na televisão: Programas que consigam entreter e informar ao mesmo tempo.
O que sobra na televisão: Programas vulgares.
Ator favorito: Paulo Goulart.
Atriz favorita: Lilia Cabral.
Com quem gostaria de contracenar: Lima Duarte.
Se não fosse ator, o que seria: Comecei a trabalhar muito cedo como ator e nunca parei para pensar nisso. Talvez eu fizesse Medicina.
Personagem mais difícil de compor: Aridai, de A História de Ester.
Papel que mais trouxe retorno do público: Júlio, de Chiquititas.
Novela favorita: Vamp, de Antônio Calmon, exibida pela Globo em 1991.
Vilão marcante: Hamã, de Paulo Gorgulho, em A História de Ester.
Que novela gostaria que fosse reprisada: Mulheres de Areia, de Ivani Ribeiro, versão exibida pela Globo em 1993.
Par romântico inesquecível: Eu e Giovanna Antonelli em Amazônia, De Galvez a Chico Mendes.
Com quem gostaria de fazer um par romântico: São muitas opções. Não consigo escolher.
Filme: Sempre ao Seu Lado, de Lasse Hallström.
Livro: O Código da Vinci, de Dan Brown.
Uma mania: Dormir com o travesseiro entre os joelhos.
Medo: Não realizar meus planos.
Projeto: Me dedicar à minha produtora de comerciais.

A História de Ester - Record - Terça a quinta, às 23h.

Paulo Nigro disse que seu papel na minissérie é o mais difícil de compor
Paulo Nigro disse que seu papel na minissérie é o mais difícil de compor
Foto: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias / Divulgação
Fonte: TV Press

compartilhe

publicidade