publicidade
20 de setembro de 2012 • 09h38

Reality show "radical" ganha nova versão brasileira com Paulo Zulu

O apresentador Paulo Zulu posou para foto com os participantes do 'The Amazing Race'
Foto: Adriano Lima / Terra
 

Mariana Ghorayeb

The Amazing Race, um dos reality shows mais bem-sucedidos do mundo, vai ganhar uma versão especialmente com competidores brasileiros, no canal pago Space. Nos Estados Unidos, o programa já está na 20ª temporada e acumula 14 prêmios Emmy - sendo sete deles na categoria Melhor Reality de Competição.

Para apresentar o programa à imprensa, uma coletiva realizada em São Paulo contou com as 11 duplas participantes e Paulo Zulu, que assume o comando do programa. A escolha do modelo não foi à toa: seu espírito aventureiro, sua paixão por esportes como o surf, jiu-jitsu, corrida, alpinismo e caça-submarina casam perfeitamente com o clima do programa.

O TAR - como é chamado pelos fãs do programa - já teve versões latino-americanas, inclusive com diversas duplas brasileiras, mas está será a primeira apenas com competidores daqui. "No programa dos Estados Unidos eles não fazem amizade; na hora do jantar senta cada um na sua mesa e não conversam. Nas versões latinas, a hora de comer é sempre uma festa! Muito melhor trabalhar com essa energia", disse a produtora Maria Bejarano.

Entre os times que enfrentarão as provas, que tem como pano de fundo cenários naturais exuberantes, estão duplas de diversas formações. Mãe e filho, pai e filho, amigos, irmãs gêmeas, modelos, casais, noivos, namorados e empresários. "Pegamos relações diferentes, porque se for igual fica muito chato", explicou Maria Bejarano.

Participantes
Os participantes responderam algumas dos jornalistas e também do apresentador do programa, Paulo Zulu. Luiz Antônio e Luiz Fernando, pai e filho, disseram que tem passado mais tempo junto, para aproveitar melhor o entrosamento durante a competição.

Já Gilbert e Gilmar estão animados com as provas e viagens, mas preferiram não apontar quais locais e paisagens gostariam de conhecer. "Não pensamos nisso. Estamos prontos para toda e qualquer situação, não importa onde".

As gêmeas Cintia e Luiza, que são triatletas, foram questionadas sobre a relação entre as duplas. "Fizemos amigos, mas como atletas focamos em nós e em nosso objetivo, deixando de lado a amizade. Amigos, amigos, competições à parte", disseram as irmãs.

Uma das duplas que mais chamaram atenção foi Eduardo e Ricardo. Os irmãos entraram no programa por uma causa nobre: um amigo tem uma doença muito grave e considerada incurável. Fã do programa, esse amigo inscreveu os dois no The Amazing Race. "Queremos o prêmio para dar mais tempo e qualidade de vida para ele", explicaram. Eles pretendem pagar um tratamento experimental na China, com um médico que diz ter uma possível cura para o problema.

O Programa
Dividido em 13 etapas, cada uma exibida em um episódio, as 11 duplas precisam cumprir uma prova, com muitos percursos e rotas, através de pistas que mostram o local da próxima fase. Nos Estados Unidos, cada prova costuma passar por dois países, mas a versão brasileira deve se concentrar nos pontos turísticos nacionais e, algumas vezes, em locais da América Latina.

Ao final de cada rota, a última dupla a terminar o desafio pode ser eliminada, ou punida com alguma desvantagem dentro da competição. No último episódio, os três finalistas disputam quem chegará primeiro ao destino final e levará para casa o prêmio de US$ 250 mil (cerca de R$ 500 mil).

The Amazing Race será exibido no canal de TV por assinatura Space, todos os domingos, às 19h, a partir do dia 7 de outubro. Às terças-feiras, às 21h, vai ao ar a reapresentação do episódio.

Terra