0

Val é rejeitada e detonada por 'Mulheres Ricas': "deselegante"

12 mar 2013
03h12
atualizado às 18h17
  • separator
  • comentários

Elas possuem personalidades bem diferentes, mas parecem concordar em duas coisas: a participação na série Mulheres Ricas, da TV Band, foi frutífera – seja na vida pessoal ou profissional – e a presença de Val Marchiori é algo dispensável. Reunidas para assistir ao último episódio da segunda temporada do reality show, na segunda-feira (11), no ateliê de Cozete Gomes em Pinheiros, na capital paulista, Aeileen Varejão, Andréa de Nóbrega, Mariana Mesquita, Regina Mansur e a anfitriã da festa não fizeram cerimônia em demonstrar, cada uma à sua maneira, que Valdirene (como várias delas fazem questão de chamá-la) pecou pelo excesso em seus comentários ácidos dentro ou fora dos sets de gravação. “É desagradável, é deselegante”, comentou Cozete, ao garantir que não guarda rancor de Val.

Regada a espumante, vestidos longos e joias, a festa teve no cardápio pratos como risoto de carne de avestruz
Regada a espumante, vestidos longos e joias, a festa teve no cardápio pratos como risoto de carne de avestruz
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Regada a espumante, vestidos longos e joias, a festa teve no cardápio pratos como risoto de carne de avestruz e drink à base de Dom Pérignon – um dos mais caros champagnes do mundo. No momento em que o episódio começou a ser exibido, as participantes sentaram-se lado a lado em um sofá, reagindo com risos, aplausos e momentos de desconforto. “É fácil falar mal, difícil é ter conteúdo do bem” e “a Val é uma chata” foram os comentários de Andréa na edição do programa que mais despertaram manifestações positivas das colegas.

Val, aliás, como já se esperava, não marcou presença no evento, já que não foi convidada pela anfitriã Cozete, com quem travou discussões acaloradas durante toda a temporada. Narcisa Tamborindeguy também não participou, mas devido a outros compromissos. “Sabia que existia inveja entre mulheres, mas não nessa intensidade. Houve uma certa inveja, da pessoa (Val) tentar diminuir a outra para poder crescer”, atacou Cozete, ao garantir que, apesar de exageradas, as alfinetadas durante o reality foram reais.

O último episódio
A reta final de Mulheres Ricas foi focada na carreira da jovem Aeileen Varejão, estudante de Rádio e TV que sonha em ser cantora sertaneja. Ela, que vem de uma família tradicional do Espírito Santo, proprietária do Haras Floriano Varejão, foi mostrada durante um show realizado para impulsionar a sua carreira. Criticada por Val – “ela não sabe cantar” -, Aeileen preferiu mexer em seu celular durante os momentos em que era atacada na edição do programa. “Me preparei ao logo do programa, me doei 100%”, disse a capixaba. “Subi no palco confiante e segura, por todo suporte profissional”, completou ela, afirmando que não se deixou abater com as críticas.

Andréa de Nóbrega e o rótulo de “pensionista”
Ex-mulher do humorista Carlos Alberto de Nóbrega, Andréa de Nóbrega também não escapou das polêmicas. Separada há três anos, ela foi casada por 22 anos com o apresentador de A Praça é Nossa, com quem teve dois filhos gêmeos. A participação da atriz no programa, no entanto, não agradou ao ex, que acabou suspendendo sua pensão, apesar de manter a dos filhos. “Meu ex-marido falou coisas que, em um casamento de 22 anos, não deveriam ser expostas”, criticou Andréa. Ela, no entanto, garante que paga todas as contas e que não lhe falta nada.

Elenco de Mulheres Ricas assiste ao último episódio do reality

Mas o desgosto de Andréa não veio apenas com os ataques do marido. Segundo a atriz, ser chamada de “pensionista” por Val foi tão desagradável que ela chegou a tirar os filhos da sala durante a exibição do reality show, para que não assistissem à alfinetada. “Isso ficou muito feio, muito sem classe. Achei um barraco muito feio”, rebateu ela, para depois afirmar que está começando a vida do zero: “correndo atrás das coisas em que realmente acredito”.

Por um diretor “mais chique”
Ex-advogada do ex-presidente Fernando Collor de Mello, Regina Mansur sentiu falta de um programa que realmente retratasse a rotina da mulher rica. Satisfeita com o trabalho feito, a socialite afirmou ainda que participaria de uma nova temporada, para preencher lacunas que sentiu que o diretor deixou em aberto. “A direção precisa de alguém chique para dirigir o programa”, opinou ela, ao reclamar de situações surreais como o chá que tomaram no Museu do Ipiranga, em São Paulo. “Faltou uma referência para a mulher olhar e se enxergar”, completou.

Desafeto de Val, Regina acabou levando à Justiça uma calúnia da ex-colega de programa. Ela, que foi chamada de velha e que poderia “morrer a qualquer momento”, contou que a comentário da apresentadora afetou o seu emocional, já que ela recentemente teve problemas de saúde. “Quem não tem o que mostrar, fala mal de alguém e sai no jornal”, atacou.

Última alfinetada
Depois da exibição do último episódio, Cozete ofereceu um brinde às colegas – deixando claro que Val não estava inclusa – e anunciou que tinha uma surpresa para elas: uma taça de ouro personalizada. A bebida era ainda uma atração à parte. Segundo a anfitriã, o Dom Pérignon rose que tinha em mãos era de uma safra exclusiva, que tinha apenas uma garrafa igual na América Latina. Regina, no entanto, não se conteve e pegou o microfone: "querida, brinde de champanhe tem que ser em taça de cristal para que a gente veja as borbulhas. Taça de ouro é brega".

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade