0

Isabelle Drummond concilia fé e trabalho: 'Essência da minha vida é Cristo'

'Estou sempre orando', contou a atriz em entrevista à revista 'Caras'

19 abr 2017
18h02
  • separator
  • comentários

Isabelle Drummond, de 23 anos recém-completados - com direito a festa nos bastidores de "Novo Mundo" -, associa, com sucesso, sua religião e a carreira. "Estou sempre orando. Cristo vai estar em tudo. Qualquer coisa que emanar de mim", contou a atriz em entrevista à revista "Caras". Ela explicou ainda que sua relação com a fé veio de família. "Comecei a estudar a Bíblia em família. Nós aprendemos sempre juntos, em casa, graças a Deus", disse a atriz, que, sem querer, apareceu com celular em cena na trama das seis.

Isabelle se considera romântica: 'Realista'

A intérprete de Anna, cujo figurino foi criado com a ajuda de Isabelle, indicou ainda que se considera romântica. "Acho que romantismo independe de relacionamento amoroso. Sempre fui, desde pequena. Gosta da lua, das estrelas, tenho essa coisa da Anna. Ela escreve. Eu não tenho tanto tempo de desenvolver essas atividades quanto ela, mas sempre que posso tento me conectar com as cisas que fazem parte da minha vida. Música, piano... Dizia que eu era uma romântica realista, se é que isso existe (risos). Também sei o que é a vida real. Poxa, trabalho desde muito cedo. Tive que ter bastante foco", opinou Isabelle. Ainda segundo a atriz, exaltada na web no primeiro capítulo da trama das seis, sua fé a fortaleceu ao longo da carreira. "A essência da minha vida é Cristo, mesmo. Claro que boas influências na vida também. As pessoas que me cercam são um presente de Deus. É um clichê ótimo. Tive boas referências em casa e tenho boas amizades", ponderou.

Chay é elogiado por atriz: 'Maduro para idade'

À publicação, ela ainda elogiou Chay Suede. "Ele é um menino maduro para sua idade. Se entrega às cenas mais do que muitos veteranos", destacou sobre o ator, com quem se viu envolvida em rumores de romance antes de ele reassumir o romance com Laura Neiva. Questionada se a forte relação de Anna com o pai tinha sido inspirada na relação da própria atriz, que conta com uma dublê de mãos na novela, com o pai (falecido em 2007), ela concordou. "Sabe que me fez lembrar, sim. Porque tem algumas semelhanças, é quase involuntário. Por exemplo, eu nunca tinha usado nenhuma situação da minha história para chegar às emoções do personagens. Tento me conectar com aquele universo e olhar com o seu ponto de vista. Mas, nessa situação, fui sendo levada em alguns momentos. De uma maneira muito linda. Me ensinou. Tratou várias coisas em mim", destacou.

(Por Marilise Gomes )

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade