0

Isis virou feminista após mãe lamentar por ela ser mulher

A atriz contou que questionou a frase da mãe e relatou a justificativa: "por conta da sociedade já naturalmente ser uma sociedade machista"

17 mar 2017
18h01
atualizado às 19h20
  • separator
  • comentários

A camiseta Dior de R$2,3 mil usada por Isis Valverde na coletiva de lançamento da novela "A Força do Querer" não chamou a atenção só pelo preço, mas também pela mensagem que estampava: "todos nós deveríamos ser feministas". Prestes a estrear na nova trama das nove como a Ritinha, uma jovem que acredita ser sereia, a atriz conta que a escolha do look não foi por acaso: "vim com essa blusa que traz um pouco dessa coisa do feminismo, que eu acho que está ganhando força". E relembra o episódio em que se descobriu feminista, ao questionar uma frase que ouviu da mãe: "que pena que ela nasceu mulher".

Luta pela igualdade

Isis não foge nem desconversa quando a pergunta é "você é feminista?". Ao contrário, abre um sorriso e traz uma memória antiga como resposta. "Acho que eu me descobri feminista quando eu era mais nova e a minha mãe soltou a pequena frase: 'que pena que ela nasceu mulher'. Aí eu falei: 'Oi? Por quê?', e a partir desse dia comecei a descobrir essa diferença entre os gêneros. Diferença social, política... E me engajei". Como justificativa pela fala da mãe, a atriz explicou: "Por conta da sociedade já naturalmente ser uma sociedade machista", e declarou que a luta feminista não tem a ver com ódio por homens, o que ela aponta como sendo uma visão conturbada do feminismo. "Não é para os homens serem odiados, é para procurar a igualdade dos dois", completou.

'É uma novela que fala disso'

A questão de gênero é um dos temas que "A Força do Querer" vai abordar, tanto na transsexualidade de Ivana (Carol Duarte), como também o feminismo. "E é uma novela que fala disso. É uma novela que tem uma personagem que fala disso", afirmou a artista, se referindo mais especificamente a Jeiza, policial e lutadora de MMA vivida por Paolla Oliveira na trama. Mas Ritinha também se relaciona com o assunto, por ser uma mulher libertária. "Ela acredita que é uma sereia, mas eu não acredito, então vivo dentro das regras sociais. Vivo com uma ética que foi construída. A gente tem regras. Ela desconhece todas. Todas", enfatizou Isis, que admitiu: "Queria ser igual a ela, cara".

Dois pesos, duas medidas

Na trama, a personagem se envolve amorosamente com Zeca (Marco Pigossi) e com Ruy (Fiuk), o que já promete causar questionamentos. Em defesa de Ritinha, Isis avisa que existe algo (que ela ainda não pode contar) que vai explicar as razões da jovem. E cita novamente a diferença de recepção do comportamento das pessoas de acordo com o gênero, como exemplificou: "falam: 'ah, mas outro namorado?'. E eu: 'Gente, mas você não namora?' Aí, aquela coisa, o cara vai pra balada, diz que comeu 15, e aí o povo fala: 'Que maneiro, hein, pô garanhão!'.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade